i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Roraima

Julgamento da Raposa Serra do Sol será retomado em dezembro, diz Mendes

Governador de Roraima pediu ao STF agilidade na análise do tema. Pedido de vista interrompeu o julgamento no dia 27 de agosto

  • PorG1/Globo.com
  • 05/11/2008 16:06

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, afirmou nesta quarta-feira (5) que o julgamento que definirá o futuro da reserva indígena Raposa Serra do Sol, em Roraima, será retomado em dezembro, em data ainda não definida. Nesta tarde, Mendes recebeu o governador de Roraima, José Anchieta Junior, que pediu agilidade ao Supremo na definição do assunto.

Para o governador, uma eventual demora na conclusão do julgamento pode acirrar o clima de conflitos entre índios e plantadores de arroz – que disputam à região. Anchieta é contra a demarcação contínua da reserva e a favor da permanência dos arrozeiros na área hoje pertencente à Raposa Serra do Sol.

A análise da ação que pede a anulação da portaria que definiu a demarcação contínua da reserva foi interrompida no último dia 27 de agosto, por um pedido de vista do ministro Carlos Alberto Menezes Direito. Antes de o julgamento ser interrompido, apenas o relator do processo, ministro Carlos Ayres Britto, havia votado. Ele defendeu em seu voto a demarcação homologada pela União em 2005, que definiu limites contínuos à reserva.

Em disputa está à manutenção ou não da demarcação contínua da reserva, homologada pelo presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), em 2005. De um lado estão índios contrários a presença de não índios na reserva e, de outro, os plantadores de arroz que pretendem manter as terras onde cultivam o produto.

Anchieta Junior garantiu que o estado respeitará a decisão final do STF. "Qualquer decisão será respeitada pelo governo. A parte antagônica, que se sentir prejudicada, vai ter que aceitar", disse. "Caso o julgamento não se concluísse (ainda este ano) e fosse postergado, poderia causar uma animosidade entre as partes", completou o governador de Roraima.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.