• Carregando...

Depois de enterrar o filho de dois anos no cemitério de Irajá, no Rio, na tarde deste domingo (14), Carla Martins de Oliveira disse muito emocionada aos jornalistas que só quer "justiça". O menino Gabriel Martins de Oliveira Alves da Silva foi achado morto na última sexta-feira (12) dentro de um carro que fazia transporte escolar irregular em Vicente de Carvalho, na zona norte da cidade.

"É um pedaço de mim que se foi. Eu estou indignada. Só espero que não fique por aí porque a alegação dela é que ela passou mal e desmaiou por aproximadamente duas horas. Mas qualquer leigo sabe que uma pessoa desmaia no máximo três minutos", disse chorando a mãe.

"Como ela ficou desmaiada por duas horas e acordou sã, sem nenhum tipo de problema, sem sequer ser medicada, e meu filho deu entrada no hospital com a temperatura corporal muito elevada?", questionou.

Carla Oliveira destacou ainda que a condutora do veículo [um Gol preto], Cláudia Vidal da Silva, 33, estava fora da rota que costumava fazer para transportar as crianças. Ela disse que a polícia já investiga o motivo da motorista ter saído do trajeto de rotina.

"O carro dela estava numa rua que era um trajeto totalmente diferente do que ela faria da creche. A obrigação dela era pegar meu filho na porta de casa e levar ele para a creche e não foi isso que ela fez. E nessas duas horas o que aconteceu? Eu só peço Justiça", disse.

Cerca de 100 pessoas participaram do enterro da criança, no início da tarde deste domingo. Um pastor leu um texto em homenagem ao menino e familiares também pediram Justiça.

"Sua morte não vai ficar impune, meu filho, porque a gente acredita em Deus. Essa mulher vai pagar pelo que ela fez", gritou chorando a mãe.

A condutora do veículo afirmou à polícia que passou mal e desmaiou. Ela diz que ao recuperar a consciência, constatou que a criança havia passado mal.

Gabriel Silva chegou a ser levado para um posto médico em Irajá, também na zona norte do Rio, mas, segundo a secretaria de Saúde, já chegou morto à unidade.

A Polícia Civil afirmou que um inquérito foi instaurado para investigar as circunstâncias da morte e verificar se houve o crime de abandono de incapaz.

A principal linha de investigação é que a criança tenha sido esquecida dormindo dentro do veículo. Imagens de câmeras de segurança próximas ao local onde o carro ficou parado serão usadas para verificar se a motorista deixou a criança sozinha.

O veículo e as roupas do menino passaram por perícia. A condutora do veículo, a mãe da vítima e algumas testemunhas já prestaram depoimento na delegacia.

Caso seja constatado que Cláudia Vidal da Silva tenha abandonado a criança dentro do carro, ela irá responder pelo crime de homicídio. De acordo com a polícia, por enquanto, a motorista fica em liberdade.

0 COMENTÁRIO(S)
Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]