i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Censo 2010

Santa Inês registra maior redução populacional no Noroeste do Paraná

Atualmente com 1.818 habitantes, o município perdeu 13% dos moradores desde 2000. Entre os principais motivos estão a falta de emprego e de instituições de ensino superior, além da predominância da produção de cana de açúcar

  • PorThiago Ramari com informações da RPCTV Maringá
  • 23/11/2010 07:47
 | RPCTV Maringá
| Foto: RPCTV Maringá

O município de Santa Inês, a pouco mais de 100 quilômetros de Maringá, registrou a maior redução populacional da região Noroeste do Paraná nos últimos dez anos. Baseado nos dados do Censo 2010, reportagem da RPCTV Maringá aponta que, atualmente, 1.818 pessoas moram no município, número 13% menor do que o constatado em 2000.

Os motivos para os moradores deixarem Santa Inês são variados. Para alguns, a falta de instituições de ensino superior e de oportunidades de emprego obrigam os mais jovens a se mudarem. "[Santa Inês] Só tem 2º grau e não tem emprego", reclama o funcionário público Mário Camargo.

Por esse motivo, a estudante Emanuela da Silva, 10 anos, conta que o pai está pensando em levá-la para Maringá ou Presidente Prudente, para estudar um curso superior, assim que terminar o ensino médio.

Outro motivo apontado pelos moradores é as mudanças na agricultura. Atualmente, a principal cultura agrícola é a da cana de açúcar, que ocupa mais de 3 mil hectares no município. Se por um lado traz riquezas, a cana também intensifica o êxodo rural, uma vez que não dá espaço aos pequenos agricultores.

Sobre este último fator, o prefeito Clodoaldo Oliveira afirma que a Prefeitura tenta dar algum suporte aos pequenos produtores rurais, para evitar o êxodo. "A gente tenta dar apoio aos pequenos e médios agricultores, mas não depende da gente", diz. "É uma questão de propriedade que o município não tem como intervir."

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.