i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Violência

Menino de 11 anos é assassinado em Curitiba

Menino estava conversando com amigos quando recebeu os tiros. A morte pode estar relacionada a gangues do bairro ligadas ao tráfico de drogas na região

  • PorAdriano Ribeiro
  • 11/02/2010 11:53

Garoto de 11 anos foi morto na noite de quarta-feira no bairro Rebouças, em Curitiba

Um garoto de apenas 11 anos foi morto na noite de quarta-feira (10) no bairro Rebouças, em Curitiba. O crime ocorreu, por volta das 22h, em frente a um bar na Rua Felipe Camarão, onde o menino conversava com o irmão e outros dois amigos.

Testemunhas relataram à polícia que dois homens que estavam em uma motocicleta efetuaram os disparos contra a vítima com uma pistola nove milímetros. De acordo com informações da Delegacia de Homicídios (DH), responsável pela investigação do caso, os autores do homicídio estavam com capacetes pretos. Eles teriam atirado contra todo o grupo, composto apenas por menores de idade, e um deles foi atingido.

O menino levou um tiro no tórax e morreu em via pública. Segundo o delegado chefe da DH, Hamilton da Paz, o irmão da vítima disse à polícia que, no momento em que saiu de perto dos colegas para ir carregar o aparelho celular na residência dele, ouviu os tiros. Quando voltou ao local, os amigos tinham saído correndo e o irmão estava caído na rua. O dono do bar na Rua Felipe Camarão informou que estava no lugar do crime e ouviu os disparos, mas, como o estabelecimento estava fechado, ele não conseguiu ver nada.

A polícia ainda não sabe dizer se o garoto foi morto por engano ou era um dos alvos dos atiradores. A morte pode estar relacionada com gangues do bairro ligadas ao tráfico de drogas. A DH informou que, anteriormente, já realizou operações nesta região em busca de pessoas suspeitas de envolvimento com assassinatos na cidade.

Outras sete mortes

O Instituto Médico Legal (IML) da capital recebeu, entre as 18h de quarta-feira e as 8h desta quinta-feira (11), oito corpos de pessoas vítimas de morte violenta. Todos entraram em óbito em razão de ferimentos por arma de fogo. Além da morte no Rebouças, outras quatro pessoas foram mortas em via pública nos bairros Cajuru, Tarumã e Capão da Imbuia e três morreram em hospitais da capital.

No Jardim Acrópole, no bairro Cajuru, um homem foi ferido com disparos de arma de fogo e morreu na Rua Assis de Brito. Demervaldo Ribeiro Cordeiro, de 36 anos, recebeu cinco tiros por volta das 22h. A autoria e o motivo do crime são desconhecidos.

Durante a madrugada de quinta, por volta das 2h, um desentendimento terminou com a morte de duas pessoas. Segundo a Polícia Militar (PM), quatro pessoas estiveram envolvidas em uma briga na Avenida Victor Ferreira do Amaral, no Tarumã. Fábio Alves Siqueira, 21, levou tiros na cabeça e no abdome. Dyone Velozo, 22, foi atingido no abdome. A polícia recebeu informações de que o autor dos disparos fugiu em um táxi.

Logo no início da manhã desta quinta, por volta das 5h30, Héber Luiz Farias, 32, foi morto depois de descer de um ônibus biarticulado. Um homem que estava no mesmo ônibus da vítima esperou o homem descer em uma estação tudo no bairro Capão da Imbuia e atirou dez vezes contra ele. O caso será apurado pela Delegacia de Homicídios.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.

    Fim dos comentários.