i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
pará

Minerva, CDP e Defensoria definem apoio para famílias lesadas por naufrágio no PA

    • Estadão Conteúdo
    • 21/10/2015 18:27

    A Defensoria Pública do Estado do Pará, a Minerva Foods e a Companhia Docas do Pará (CDP) acertaram em reunião nesta quarta-feira, 21, medidas para atender as famílias prejudicadas pelo naufrágio do navio Haidar. A embarcação afundou com 5 mil bois vivos no Porto de Vila do Conde, em Barcarena, no dia 6 de outubro. Além do derramamento de óleo na região, centenas de carcaças bovinas também escaparam da área de contenção e foram parar em praias de Barcarena e Abaetetuba.

    O preposto da Minerva, Taciano Custódio, e o advogado da empresa, Pedro Teixeira Dall’Agnol, compareceram à reunião, em que a companhia alimentícia se comprometeu a garantir 80 litros de água mineral a cada família atingida. A distribuição começa na sexta-feira e busca cumprir decisão da Justiça Federal sobre a ação civil pública movida pela Defensoria junto com o Ministério Público Federal (MPF) e o Ministério Público do Estado do Pará (MPPA). No processo, que foi indeferido, as instituições pediam a interdição do Porto de Vila do Conde.

    Mesmo descartando essa hipótese, a Justiça Federal determinou medidas às empresas para mitigar impactos sociais. Fora do escopo da decisão, a Minerva ofereceu 10 mil litros de água potável aos moradores para atividades como banho e lavagem de roupa.

    Em nota, o diretor de Interior da Defensoria, Daniel Lobo, explica que enquanto a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) não concluir estudos para descobrir se a água do rio e dos poços artesianos da região foram contaminados, os moradores não podem utilizar os recursos hídricos.

    A CDP foi representada pela gerente jurídica Conceição Cei e se comprometeu a pagar um salário mínimo às famílias. O benefício deve ser fornecido às 450 famílias vulneráveis na próxima segunda-feira. Ainda não se decidiu como será feito o pagamento, mas a Defensoria diz que as informações pendentes serão divulgadas na quinta-feira, após encontro com o MPF e o MPPA, em Barcarena.

    Além da água e do apoio financeiro, as empresas devem fornecer 600 máscaras com respiradores para os cidadãos prejudicados a partir da sexta-feira - outra determinação da Justiça Federal. “Essas medidas, de ordem emergencial, não vão anular as responsabilidades diante de possíveis danos morais e materiais”, ressaltou o defensor.

    Deixe sua opinião
    Use este espaço apenas para a comunicação de erros
    Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 0 ]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.