i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Oeste do PR

Moradores de distrito de Cascavel bloqueiam rodovia durante protesto

Durante duas horas os moradores fecharam a PR-180. Os manifestantes cobram médico na UBS do distrito e melhorias na educação, estradas rurais e transporte de alunos

  • PorLuiz Carlos da Cruz, correspondente em Cascavel
  • 06/08/2013 08:45
Protesto bloqueou a PR-180 por duas horas na manhã desta terça-feira (6) | Cesar Machado/Vale Press
Protesto bloqueou a PR-180 por duas horas na manhã desta terça-feira (6)| Foto: Cesar Machado/Vale Press

Moradores do distrito de São Salvador, em Cascavel, no Oeste do Paraná, interditaram durante duas horas a rodovia PR-180 na manhã desta terça-feira (6) para protestar contra a falta de estrutura da comunidade. Com máquinas agrícolas, tratores e caminhões, eles bloquearam a rodovia e foram para a pista com o objetivo de chamar a atenção das autoridades.

Os moradores afirmam que a Unidade Básica de Saúde (UBS) está há seis meses sem médico. Eles também protestaram contra a falta de salas no Colégio Estadual de São Salvador, a situação precária das estradas rurais, falta de segurança e qualidade dos ônibus que fazem o transporte dos alunos.

A professora Adely de Aquino Ochoa conta que falta sala de aula para os alunos do 9º ano. Eles cobram também uma quadra coberta para os alunos que já foi projetada, mas não saiu do papel. "Os pais cansaram de esperar e resolveram se manifestar", afirma.

A estudante Leandra Vieira, de 13 anos, também reclama da situação. Segundo ela, os alunos estão estudando de forma improvisada no saguão da escola. "As vezes a gente passa frio, tem que vir bem agasalhada", relata.

Justina Delabona lembra que a agricultura, os aviários e outras atividades agropecuárias fazem do distrito um grande gerador de impostos, mas que os recursos não estão sendo revertidos em investimentos na comunidade. "As estradas estão em péssima condição, as vezes até cai carga de frango, de ração, por causa das estradas", diz. Ela também reclama da falta de segurança no distrito. "Minha casa já foi roubada 11 vezes", relata.

Margarete Rozatti declarou que o protesto desta terça-feira foi para alertar as autoridades. "Vamos ficar aguardando uma resposta e se não vier tomaremos outro tipo de atitude", afirmou. A agricultora Elisabete Toffolo não se conforma com a falta de médicos na UBS. "Agora temos que agendar para ficar doente", discursou sob aplausos dos demais manifestantes. Ambulâncias

A manifestação desagradou alguns usuários da rodovia que não concordaram com a decisão dos manifestantes de impedir a passagem até mesmo de ambulâncias e carros que transportavam doentes. A dona de casa Ivonete Pereira, moradora de Enéas Marques, tinha consulta marcada para as 9 horas em Cascavel e, apesar de defender o direito de manifestação, reclamou por ter sido barrada. "É complicado, já está marcada [a consulta]. Fiz uma cirurgia e estou aguardando a consulta para marcar a quimioterapia", afirma.

Sobre a situação das estradas rurais, o secretário de Obras, Maurício Theodoro informou que nesta terça-feira as equipes estão trabalhando em Rio do Salto e está incluído na agenda a readequação da estrada velha, em São Salvador.

O secretário de Educação, Valdecir Nath, disse que toda a estrutura do colégio pertence ao município e a escola é compartilhada com o Estado que deveria ter feito o investimento para absorver todos os alunos da rede estadual. "O município tem 121 alunos e não tem justificativa para fazer investimentos", afirmou em nota.

Já a Secretaria de Saúde de Cascavel informou que o médico que atendia na UBS do distrito pediu exoneração e está sendo aguardado que os aprovados no último concurso público apresentem a documentação necessária, passem pela liberação da Medicina do Trabalho e em seguida compareçam na secretaria para que um profissional seja efetivado na unidade. A prefeitura informou ainda que está reorganizando as escalas para enviar médicos ao distrito.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.