i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Tragédia em SC

Mortes chegam a 122 e buscas continuam

  • PorBruna Maestri Walter, enviada especial
  • 07/12/2008 21:09

Dois óbitos por soterramento ocorrido há uma semana em Gaspar aumentaram o número de mortos por causa da chuva em Santa Catarina para 122. Os nomes das vítimas não foram divulgados. Como os bombeiros continuam realizando buscas por corpos, os registros de óbitos podem crescer. Vinte e nove desaparecidos estão confirmados no estado pela Defesa Civil.

Após duas semanas dos deslizamentos de terra que destruíram casas e vitimaram moradores, o major César Nunes explica que a busca é possível porque os cães conseguem farejar o cheiro gerado pela putrefação dos corpos e, dependendo da condição do cadáver, a busca pode ser feita depois de meses que a pessoa morreu. Familiares aguardam ansiosos pelo resgate dos corpos.

A identificação acontece pela roupa que a pessoa estava usando. Se o corpo estiver em avançado estágio de decomposição, a identificação é feita por exame de DNA.

Não se tem ao certo quantos corpos possam estar só na região do Morro do Baú. O major César aponta que são duas as dificuldades: as condições do solo e a falta de informações sobre os desaparecidos. Ele explica que os abrigos têm um cadastro, que a prefeitura tem outro e que a Defesa Civil tem outro. "O município de Ilhota está se mexendo, mas tem ações que têm que ser tomadas mais rápido", sugere.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.