Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...

Temporal

SP sofre novamente

Folhapress

São Paulo - Um forte temporal com ventos de até 81,7 km/h provocou alagamentos, derrubou árvores e deixou quatro regiões em alerta ontem à tarde em São Paulo. O trânsito e a circulação de trens e metrô foram prejudicados.

Na altura da ponte da Vila Maria, uma árvore caiu sobre quatro veículos. Um homem morreu, segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego e a Defesa Civil. O Corpo de Bombeiros não havia confirmado a morte até as 20h30.

O Rio Tietê transbordou e alagou a marginal na altura da ponte do Limão até a saída para a via Dutra, nos dois sentidos.

Ponta Grossa - Cidades do Norte Pioneiro paranaense estão avaliando os danos causados aos municípios pelas enchentes. Os relatórios com os estragos serão anexados aos decretos de emergência já assinados pelos prefeitos. A documentação será usada para pleitear verbas que ajudarão na reconstrução das cidades.

Até o momento, apenas a cidade de São José da Boa Vista já pediu oficialmente à Defesa Civil estadual a decretação do estado de emergência. Tomazina, Sengés e Bocaiúva do Sul também já estão sob o decreto de emergência. A medida permite que a administração municipal realize compras emergenciais sem a necessidade de licitação. Posteriormente, no entanto, tudo deverá ser alvo de prestação de contas.

Além disso, o reconhecimento de um decreto bem documentado, com número de atingidos e relatórios sobre o comprometimento da infraestrutura municipal, poderá servir de argumento para que a cidade pleiteie recursos emergenciais do governo federal.

No total, 28 municípios paranaenses sofreram estragos pelas chuvas dos últimos dias. Segun­do estimativas da Defesa Civil do Paraná, 34 mil pessoas foram afetadas, sendo 1.007 desabrigadas e 3.160 desalojadas até a tarde de ontem. As regiões mais afe­tadas foram o Norte, os Campos Gerais e a região metropolitana de Curitiba. De todas, a cidade mais afetada foi Sengés, no Norte Pioneiro.

Na cidade, enquanto funcionários municipais e população procuram limpar toda a sujeira deixada pela enchente e seguir com a vida, as administrações buscam elementos para comprovar os danos. "Estamos agora começando a reviver. As comunidades dos bairros estão ajudando a levantar pontes, tirando árvores das ruas e estamos cadastrando o povo atingido. Os bombeiros me informaram que foram 252 as casas atingidas pela enchente", relata o prefeito de Sengés, Walter Juliano Dória. Na noite de terça-feira, a cidade já contava com abastecimento total da rede de água, segundo ele. "É a nossa vida começando a voltar ao normal. Para melhorar totalmente só falta reconstruir a rodovia", aponta Dória.

No decorrer do dia de hoje deverá ocorrer uma reunião entre o Departamento de Estra­das de Rodagem (DER), em Piraí do Sul, com prefeitos dos municípios atingidos. A ideia é pedir maquinário e recursos para reconstruir pontes e trechos de estradas.

Após as chuvas do fim do ano passado, 41 municípios estão à espera dos recursos previstos pela MP 473, de 15 de dezembro. Para o Paraná seriam destinados R$ 32 milhões. Apenas Matelândia recebeu a previsão de liberação.

Colaboraram Adriano Kotsan e Vitor Geron

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]