i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
boletim

Número de casos confirmados de microcefalia sobe para 508 no Brasil

    • BRASÍLIA
    • Folhapress
    • 17/02/2016 13:39
     | Antônio More/Gazeta do Povo
    | Foto: Antônio More/Gazeta do Povo

    O número de casos confirmados de recém-nascidos com microcefalia e outras más-formações do sistema nervoso central cresceu cerca de 10% em uma semana e já chega a 508, segundo dados atualizados do Ministério da Saúde divulgados nesta quarta-feira (17).

    São casos em que exames apontam, em geral, uma má-formação no cérebro dos bebês possivelmente associada a uma infecção congênita (transmitida de mãe para filho). Relatório anterior apontava 462 casos.

    Distribuição geográfica

    Agência O Globo

    Os 508 casos confirmados ocorreram em 203 municípios de 13 unidades da federação: Alagoas, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso do Sul, Pará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul. No entanto, se analisado o total de registros suspeitos, apenas Amapá e Amazonas não constam da lista.

    Ao contrário das últimas semanas, o Ministério da Saúde não divulgou nesta quarta-feira o número de bebês que já tiveram resultado positivo para o vírus da zika exames feitos para investigar as possíveis causas da má-formação. Até a última sexta-feira (12), 41 tiveram esse diagnóstico.

    Questionada, a pasta informa que a decisão por não divulgar os casos relacionados ao zika ocorre devido a mudanças no protocolo de notificação dos casos, feitas após consultas a especialistas.

    O ministério não informou, porém, os motivos da mudança. No boletim divulgado com os números atualizados, a pasta diz apenas que “está investigando todos os casos de microcefalia e outras alterações do sistema nervoso central e a possível relação com o vírus zika e outras infecções congênitas”.

    Entre as infecções que entram nesse último grupo estão sífilis, toxoplasmose, rubéola, citomegalovírus e herpes viral.

    O número de casos confirmados para essas outras causas também não foi divulgado. Procurado pela reportagem, o ministério disse considerar que a maioria dos casos já confirmados esteja relacionado ao vírus da zika, identificado no Brasil no início de 2015.

    Casos de bebês com microcefalia agravam abandono de mulheres no Nordeste

    Leia a matéria completa

    Casos em investigação

    Além dos casos já confirmados, o Brasil investiga ainda outros 3.935 casos de bebês com suspeita de microcefalia e outras más-formações. O número representa um aumento de 2,15% em relação à última semana, quando havia 3.852 registros em investigação.

    Do novo total, 60% são casos notificados em 2015, e 40% neste ano. Os casos de microcefalia em investigação abrangem 24 Estados e o Distrito Federal. Até o momento, apenas Amazonas e Amapá não tiveram registros.

    Desde outubro, quando iniciaram as investigações, outros 837 casos suspeitos chegaram a ser notificados pelos Estados ao Ministério da Saúde, mas foram descartados. A classificação ocorre após exames nos bebês apontarem resultados normais ou a ocorrência de microcefalia associada a causas não infecciosas, como fatores genéticos e uso de drogas na gravidez.

    Famosa por causa do zika vírus, microcefalia ainda confunde cientistas

    Leia a matéria completa

    Outros casos

    O balanço do Ministério da Saúde também aponta um crescimento no número de mortes em investigação de bebês com suspeita de microcefalia e outras más-formações.

    Ao todo, 108 mortes já foram notificadas, um aumento de 18,7% em relação à última semana, quando havia 91 registros em investigação. As mortes ocorreram após o parto ou durante a gestação.

    Entre os casos, 27 são de bebês que tiveram a má-formação confirmada após exames. Outros 11 foram descartados e 70 continuam em investigação.

    Deixe sua opinião
    Use este espaço apenas para a comunicação de erros
    Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 0 ]

    Máximo 700 caracteres [0]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.