i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Crime

Oito são presos por roubo a agências bancárias

  • PorJoão Varella, da Gazeta do Povo Online
  • 24/09/2008 21:02

Uma quadrilha que, segundo a polícia seria responsável por parte da onda de roubos a banco em Curitiba e região dos últimos meses, foi presa na manhã de ontem. O grupo era composto por oito pessoas: seis vinham de São Paulo e dois moravam no Paraná.

Segundo a polícia, a quadrilha é responsável pelo roubo às agências bancárias do Bradesco de Pinhais, em 25 de julho; de Colombo, em 1º de agosto; e do Tarumã, em 14 de agosto, além de uma agência da Caixa Econômica Federal no Bacacheri, em 28 de agosto.

Para fazer os assaltos, a quadrilha passava pelo detector de metais das agências com armas de plástico. Com elas, os seguranças eram rendidos e forçados a permitir a entrada de outros membros da gangue. "Eles agiam sempre do mesmo jeito", explica o delegado Renato Bastos Figueiroa, que comandou as investigações.

Depois de cometer os crimes, segundo a polícia, eles se refugiavam na casa de Monalisa Ferreira dos Santos, 25 anos, em Colombo, na região metropolitana de Curitiba. Monalisa, única mulher do grupo, também foi presa. Segundo Figueroa, os bandidos fugiam sempre para São Paulo, onde passavam algum tempo. Depois, retornavam para efetuar outro roubo.

De acordo com o Centro de Operações Policiais Especiais (Cope), que efetuou as prisões, os criminosos estariam na iminência de praticar outro roubo. Dessa vez, o alvo seria uma agência do Banco do Brasil de Colombo. "Em média, eles ficavam dois dias planejando o crime", conta Figueroa.

Todos foram autuados em flagrante por formação de quadrilha. Além dos assaltos no Paraná, o delegado Miguel Stadler afirma que eles teriam roubado outros dois bancos em São Paulo. Todos os paulistas da quadrilha já tinham passagem por roubo e quatro são foragidos do sistema penitenciário.

Nenhum dos homens quis se manifestar à imprensa. Monalisa afirmou que os presos eram apenas conhecidos. "Não tinha certeza que eles eram criminosos", afirmou.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.