i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Terceiro setor

ONG do PR forma policiais de 16 estados

O Iddeha, com sede em Curitiba, pretende levar os agentes de segurança a fazerem um diagnóstico mais humanizado das ocorrências que atendem

  • PorMauri König
  • 22/11/2008 21:15

Uma instituição sem fins lucrativos do Paraná será encarregada pela formação humanista de 3.800 policiais federais, civis, militares, bombeiros e guardas municipais de 16 estados brasileiros. O Instituto de Defesa dos Direitos Humanos (Iddeha), com sede em Curitiba, venceu licitação internacional do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud) e colocará em prática o projeto Jornada Formativa de Direitos Humanos. A primeira das 48 jornadas tem início em dezembro, em Porto Velho (RO). A proposta é levar os agentes de segurança a fazerem um diagnóstico mais humanizado das ocorrências que atendem.

Equipe multidisciplinar de educadores, sociólogos, psicólogos, jornalistas, pedagogos e professores de educação física abordará de uma forma sistêmica a desumanização nas relações sociais e os mecanismos da produção da violência. Este é um problema complexo demais para ser interpretado de maneira reducionista, avalia o presidente do Iddeha, o jornalista Paulo Pedron.

Conceitos

Nas 16 horas de cada jornada, a equipe trabalhará conceitos de ética, valores humanos, respeito, mediação de conflito e memória histórica da segurança pública no Brasil, que, segundo Pedron, "se preocupou mais com a tecnologia e pouco com as pessoas que estão detrás das armas".

O que se espera são agentes de segurança motivados a garantir os direitos humanos e multiplicar a cultura da paz. Por isso, o programa privilegiará a interação dos policiais ao conteúdo do curso, com abordagem mais próxima da realidade das ruas. Eles receberão material didático, participarão de reflexões e debates e passarão a fazer a construção coletiva e participativa dos conhecimentos sobre direitos humanos e segurança pública a partir de situações concretas apresentadas por eles próprios, estabelecendo conexões entre teoria e prática.

As jornadas, cada uma com até 80 participantes, serão realizadas nas capitais dos estados do Amazonas, Rondônia, Acre, Roraima, Tocantins, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás, Santa Catarina, Sergipe, Paraíba, Rio Grande do Norte, Ceará, Piauí, Maranhão e Amapá. Os participantes serão selecionados pelas prefeituras e secretarias estaduais de segurança pública, com aval da Secretaria Nacional de Segurança Pública.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.