i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
pedido

ONU: países atingidos pelo zika devem fornecer acesso à contracepção e ao aborto

    • genebra (suíça)
    • AFP
    • 05/02/2016 10:43
    Aedes aegypti, mosquito transmissor do zika vírus | Raul Santana/Fiocruz Imagens
    Aedes aegypti, mosquito transmissor do zika vírus| Foto: Raul Santana/Fiocruz Imagens

    O Alto Comissariado para os Direitos Humanos (ACNUDH) da Organização das Nações Unidas (ONU) pediu nesta sexta-feira (5) aos países atingidos pelo zika vírus, suspeito de provocar má formação congênita em bebês, de permitir o acesso das mulheres à contracepção e ao aborto.

    O órgão dirige seu apelo especificamente aos países sul-americanos, muitos dos quais não permitem nem o aborto, nem a pílula, e que aconselharam as mulheres a evitar a gravidez devido ao risco representado pelo vírus.

    Editorial: Microcefalia e eugenia

    Leia a matéria completa

    “Como podem pedir às mulheres que não engravidem, mas não oferecem a possibilidade de prevenir a gravidez?”, declarou a porta-voz Cecile Pouilly, referindo-se às legislações restritivas me países na América Latina, onde o vírus zika se propaga velozmente.

    “Claramente, a propagação do zika é um grande desafio para os países da América Latina”, assinalou, por sua vez, em um comunicado, o Alto Comissariado dos Direitos Humanos, Zeid Ra’ad al-Hussein.

    “No entanto, o conselho dado por alguns governos às mulheres para que evitem engravidar ignora que muitas mulheres não tem qualquer controle sobre o momento ou as circunstâncias nas quais podem ficar grávidas, especialmente em âmbitos onde a violência sexual é bastante habitual”, acrescentou.

    Deixe sua opinião
    Use este espaço apenas para a comunicação de erros
    Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 0 ]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.