i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
inusitado

Ortopedista faz parto de emergência em Curitiba

  • PorDa Redação
  • 03/02/2016 17:07
 | Bigstock
| Foto: Bigstock

Já imaginou um parto realizado por um médico ortopedista? Em Curitiba, essa situação inusitada ocorreu na manhã desta quarta-feira (3). Para o médico Guilherme Stratmann seria mais um dia normal de trabalho, até uma mulher em estágio avançado de trabalho de parto chegar ao Hospital XV, no Alto da XV, onde ele atende. O local é especializado em traumatologia e ortopedia.

De acordo com Stratmann, a paciente, que é de Pinhais, na Região Metropolitana, estava sendo conduzida ao Hospital de Clínicas (HC), no Alto da Glória, onde teria o bebê. Como a criança deu sinais de que não esperaria o destino para nascer, o hospital de ortopedia, o mais próximo no momento, foi a solução encontrada. Mesmo assim, conta o médico, o procedimento precisou ser realizado no próprio carro, já que o parto estava muito avançado para que a paciente fosse levada para dentro. Apesar do susto, o parto foi tranquilo.

Após a menina “apressada” nascer, mãe e filha receberam toda a assistência necessária no hospital e mais tarde seguiram para o Hospital de Clínicas. No início da tarde, porém, foram transferidas para a Maternidade Victor Ferreira do Amaral, no Água Verde, uma vez que o hospital universitário estava sem vagas para recebê-las. Ambas passam bem.

O caso chama atenção porque o hospital onde tudo ocorreu não realiza esse tipo de procedimento, além de ser particular – a grávida é paciente do SUS. Mas nunca passou pela cabeça de Stratmann não ajudar a mulher. “Antes de ser ortopedista, sou médico”, afirmou. Para quem achava que o último parto que havia realizado na vida seria um ainda nos tempos da faculdade, 14 anos atrás, o dia de hoje vai ficar na memória.

Colaborou: Mariana Balan.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.

    Fim dos comentários.