i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
SAÚDE

Paraná vai receber 91 médicos

Programa Mais Médicos atende apenas a 11% da demanda do país por profissionais nessa primeira etapa. 27 cidades paranaenses são contempladas

  • PorRafael Waltrick
  • 01/08/2013 21:07
Veja a lista de cidades selecionadas pelos médicos |
Veja a lista de cidades selecionadas pelos médicos| Foto:

Reação

CFM acusa governo de dificultar inscrição de brasileiros

O Conselho Federal de Medicina (CFM) acusa o Ministério da Saúde de deliberadamente dificultar a inscrição de profissionais brasileiros no programa Mais Médicos. O órgão decidiu pedir a intervenção do Ministério Público e uma investigação da Polícia Federal, além de requerer a reabertura das inscrições aos brasileiros.

Roberto d’Ávila, presidente do órgão, afirma que os problemas encontrados por médicos que tentavam fazer a inscrição no Brasil não aconteciam quando o acesso era feito com um IP (registro do computador) do exterior. "Faz desconfiar de uma ação proposital para não inscrever médicos brasileiros", disse. "É uma crítica absolutamente inconsistente e vazia. Noventa por cento dos CRMs inválidos não eram uma confusão de números, eram zero, zero, zero ou traço, traço, traço", rebateu o ministro da Saúde, Alexandre Padilha.

D’Ávila disse que o ministério usou um programa que não aceitava acentos ou outros sinais gráficos e por isso dizia que o CRM era inválido. Além disso, usou um banco de dados desatualizado para conferir os CRMs. Em nota, o ministério disse que a visualização da página do programa era mais rápida no Brasil que no exterior e que o sistema reconhecia sinais gráficos e letras maiúsculas e minúsculas.

O Paraná receberá inicialmente apenas 9% do total de médicos que solicitou ao governo federal pelo programa Mais Médicos, que tem o objetivo de ampliar o número de profissionais a serviço do Sistema Único de Saúde (SUS). Lista divulgada ontem pelo Ministério da Saúde mostra que, nesta primeira etapa do programa, 27 municípios paranaenses serão contemplados com a contratação de 91 profissionais – ao todo, 286 prefeituras do estado se cadastraram, solicitando 969 vagas.

INFOGRÁFICO: Mais médicos prevê a contratação de 1.753 profissionais na primeira etapa

O ministério informou que fará novas seleções até que toda a demanda dos estados seja atendida. No país, a primeira chamada deve preencher somente 11% da expectativa dos municípios, já que 1.753 médicos que apontaram o local onde querem trabalhar serão chamados, enquanto a demanda sugerida foi de 15,4 mil profissionais.

A próxima chamada de médicos e municípios começa dia 15 de agosto. O médico que concluiu o cadastro, mas não informou em que município quer atuar, poderá indicar as opções a partir dessa data. Já os 1.753 profissionais selecionados nessa primeira etapa têm até amanhã à tarde para homologar a participação no programa e assinar um termo de compromisso – como nem todos foram direcionados para sua primeira cidade de escolha, pode haver desistências ou remanejamentos. A lista final será publicada na segunda-feira.

Segundo o Ministério da Saúde, das 1.753 vagas preenchidas, 51% estão em municípios de maior vulnerabilidade social do interior e 49% nas periferias de capitais e regiões metropolitanas. No Paraná, Curitiba deve receber o maior número no estado: 21 médicos (veja infográfico). Outras 13 cidades serão contempladas com a vinda de um médico.

Os profissionais que participarem do programa atuarão por três anos na rede de atenção básica à saúde e receberão uma bolsa-formação, paga pelo governo federal, de R$ 10 mil por mês. Além disso, os participantes terão uma ajuda de custo para instalação na cidade onde irão trabalhar. Ao aderir ao programa, os municípios ficam responsáveis pela moradia e alimentação desses médicos.

Estrangeiros

Outros 1.920 médicos com diploma estrangeiro que se inscreveram têm até a próxima quinta-feira para completar o cadastro. Segundo o Ministério da Saúde, a prioridade nas próximas contratações continuará sendo dos médicos brasileiros e as vagas não preenchidas serão ocupadas pelos estrangeiros.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.