Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
 | Arquivo pessoal/Eduardo Magalhães
| Foto: Arquivo pessoal/Eduardo Magalhães

Os amigos Eduardo Magalhães e Matheus Bernert contrariaram todas as normas do turismo seguro. Com pouco tempo, dinheiro reduzido, destino pouco traçado e trajeto menos ainda, partiram para a viagem de ano novo com a cara e a coragem. Saíram de Curitiba, em 26 de dezembro, em um Corsa 1.0. Na bagagem duas bicicletas. O único plano era descer a Cordilheira dos Andes em duas rodas. Já na primeira noite, resolveram dormir no carro – após dirigirem por cerca de 1.500 quilômetros. A parada foi no meio do Chaco Argentino, no norte do país vizinho. Pegaram gosto pela coisa, e o banco do carro foi o único hotel que conheceram por 15 dias. Quando avistavam um rio "limpinho", paravam para tomar banho e escovar os dentes. "Nossa ideia era provar que a única exigência para viajar é que você tenha coragem e determinação. E uma boa companhia sempre vai bem, é claro", diz Magalhães.

Contratempos

No fim das contas deu certo, foram 20 quilômetros de montanha em cima da bike. Mas não sem passar alguns perrengues antes (e depois). Para pegar a cordilheira, deixaram o carro na Argentina. A travessia do túnel Cristo Redentor, até o Chile, foi feita parte a pé, e parte na carona de um policial. Sem dinheiro, cruzaram os 70 quilômetros da volta até o Corsa na base da carona. Seguiram rumo à Bolivia por 500 quilômetros de estrada de terra. Resultado: o amortecedor quebrou. Cruzaram assim mesmo o deserto de sal boliviano Uyuni, até consertar o carro. Ao atravessar do Peru para o Acre, o GPS voltou a funcionar. E avisou algo como "você está a cinco mil quilômetros de casa". Fizeram em três dias e chegaram em Curitiba no sábado, dia 10 de janeiro. Em tempo de estar prontos para o trabalho, na segunda-feira pela manhã.

Ai, que fome!

Nas últimas semanas, as temperaturas bateram recordes em todo o Brasil. Apesar de terem ficado mais amenas nos últimos dias, a recomendação é sempre ingerir muito líquido. Melhor ainda se for um suco natural. Veja onde experimentar a bebida em Curitiba:

Tribo das Frutas: No Tribo das Frutas, os sucos são feitos com frutas frescas, sem conservantes, e podem ser misturados com leite, caldo de cana ou água de coco. No cardápio aparece o de limão, laranja, couve, abacaxi, hortelã, entre outros. O preço do copo com 400 ml varia de R$ 9 a R$ 10,50. O endereço é Avenida Vicente Machado, 1.965, no Batel.

Tropical Banana: O diferencial do Tropical Banana (nos shoppings Pátio Batel, Curitiba, Estação, ParkShopping Barigüi, Mueller, Jardim das Américas, Palladium, Crystal e Cidade) são as combinações de sucos naturais. como o de melancia e xarope de guaraná; caldo de cana abacaxi e hortelã; e a junção de laranja, cenoura e mamão. É possível montar seu próprio suco com duas frutas e escolher entre água, leite, laranja ou caldo de cana. O preço parte de R$ 6,50.

Miss 3.ª idade

Dezenove candidatas estão inscritas para o concurso Miss Terceira Idade de Apucarana, no Norte do estado. Com idades entre 60 e 84 anos, as inscritas se reuniram durante a semana para gravar um vídeo promocional. Na próxima quarta-feira (21), elas almoçam com o prefeito e primeira dama da cidade. Coisa fina. No dia do desfile, devem apresentar uma fantasia de carnaval e um traje social inspirado no musical "Fantasma da Ópera". São esperadas 480 pessoas, no Teatro Fênix, para entrega do prêmio, que ocorre no próximo dia 30. A entrada é gratuita.

Ciclovia ganha pintura

O prefeito Gustavo Fruet sancionou na última terça-feira (20) a Lei da Bicicleta de Curitiba. Enquanto o projeto - que prevê a construção de novas ciclofaixas - não sai do papel, o município vai repintar a ciclovia da Avenida das Torres, nos trechos de cruzamento. A obra é do ano passado, mas estaria desgastada nos trechos de asfalto devido ao trânsito de automóveis, segundo o Executivo. Motorista, atenção: haverá bloqueio nos trechos recuperados, por partes, até dia 6 de fevereiro, prazo para o fim da pintura.

Colaboraram: Naiady Piva, especial para a Gazeta do Povo, e Gilson Garrett Jr

Dê sua opinião

O que você achou da coluna de hoje? Deixe seu comentário e participe do debate.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]