i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Centro Politécnico

PF assume investigação sobre explosão de caixas eletrônicos na UFPR

Seguranças foram rendidos no início da manhã desta terça-feira por homens fortemente armados

  • PorRodrigo Batista
  • 26/08/2014 14:21

A Polícia Federal (PF) assumiu as investigações sobre a explosão de caixas eletrônicos no campus Centro Politécnico da Universidade Federal do Paraná (UFPR). Suspeitos explodiram com dinamites três caixas eletrônicos do Banco do Brasil no início da manhã desta terça-feira (26). Seguranças foram rendidos por quatro homens armados.

De acordo com a assessoria de imprensa da Superintendência da PF no Paraná, por se tratar de um crime ocorrido em uma instituição federal, a PF enviou equipes ao local para realizar perícias e iniciar o levantamento de informações. Por enquanto, até a tarde desta terça, esses trabalhos ainda eram iniciais e não havia uma linha de investigação definida sobre o ataque aos caixas eletrônicos.

Ainda de acordo com a PF, para as investigações devem ser utilizadas imagens de câmeras de segurança que mostrem a ação dos suspeitos.

Quatro homens entraram no campus por volta das 6h15 e renderam dois seguranças que estavam nas proximidades dos caixas eletrônicos. Após explodirem os caixas, os suspeitos fugiram com o dinheiro. A Superintendência do Banco do Brasil no Paraná não informou à reportagem a quantidade de dinheiro levada pelos dois homens, por questão de segurança, segundo a assessoria de imprensa do órgão.

Segundo o pró-reitor de Administração da UFPR, Álvaro Pereira de Souza, a universidade, por enquanto, não vai interferir nos trabalhos de perícia e levantamento de informações no local do crime, e deve, inicialmente, deixar o caso com a Polícia Federal e com a seguradora responsável pelo local, contratada pelo Banco do Brasil. "O espaço é cedido pela universidade para o banco. Por enquanto não autorizamos nenhum funcionário a interferir nos trabalhos. Somente depois que eles terminarem faremos uma avaliação para saber se houve algum dado causado ao prédio", explica.

Segurança no campus

Além dos dois agentes que estavam nas proximidades dos caixas eletrônicos, há outros seguranças de uma empresa terceirizada que trabalham no Centro Politécnico da UFPR, segundo o pró-Reitor de Administração da universidade. Os vigilantes cuidam do patrimônio da universidade, ou seja, dos prédios e equipamentos que estão no local. Entretanto, a equipe trabalha sem armas de fogo. Isso porque, segundo Souza, uma resolução do governo federal não autoriza o uso de armas dentro das universidades. "Isso ocorre pela própria segurança dos alunos, para evitar que haja algum caso de violência", diz.

Os dois seguranças que estavam perto dos caixas eletrônicos não faziam a guarda dos equipamentos, mas a vigilância de uma determinada área, conhecida como centro de convivências do Politécnico, uma área na qual os alunos têm acesso a alguns serviços, como é o caso dos bancos.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.