i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Rio de Janeiro

Polícia faz operação para proteger família que vai testemunhar contra milícia

Ação ocorreu na tarde desta quinta em Rio das Pedras. Testemunhas procuraram a polícia durante operação na terça

  • PorG1/Globo.com com informações da TV Globo
  • 26/11/2009 16:19

A polícia realizou uma operação nesta quinta-feira (26) em Rio das Ostras, na Zona Oeste do Rio, para garantir a mudança de uma família que resolveu testemunhar contra a milícia que age na região.

Na terça-feira (24), durante a operação contra a milícia de Rio das Pedras, uma mulher procurou os policiais. Ela contou que os filhos recebiam ameaças constantes, e que já foram agredidos.

"Eu não dormia de jeito nenhum à noite. Eu tava vivendo com remédio controlado. Porque lá é o seguinte: eles ameaçam muito, tá entendendo? Quando eles ‘pega’, eles ‘espanca’, e vão espancando, espancando, espancando. Quando eles se ‘cansa’, aí eles ‘mata’", contou.

A família deve ser incluída no Programa de Proteção a Testemunhas, mas já tem segurança de policiais. Esta semana, a Secretaria de Segurança afirmou ter desarticulado a milícia que controlava Rio das Pedras.

Na terça, nove suspeitos de integrar o grupo foram detidos, entre eles três PMs e o presidente da associação de moradores, Jorge Alberto Moretti, o Beto Bomba, acusado pela polícia de controlar a venda ilegal de segurança na comunidade. Onze suspeitos ainda estão foragidos, incluindo os chefes da quadrilha.

Nessa tarde, um carro de som e panfletos distribuídos na ruas convocavam moradores para um protesto contra a prisão de Jorge Alberto Moreti.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.