i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Curitiba

Polícia prende suspeito de ser o alvo da chacina no Barreirinha

Ele é apontado como um dos líderes do tráfico no bairro. O homem foi preso pois é suspeito de roubar uma farmácia no Bacacheri. Outro detido no assalto é acusado de ter ameaçado uma equipe de tevê que esteve no local da chacina

  • PorAdriano Ribeiro e Felippe Aníbal
  • 11/02/2010 14:45
Três pessoas foram presas acusadas de roubo a uma farmácia. Juarez de Moraes (dir) seria o principal alvo da chacina realizada em janeiro no bairro Barreirinha | Adriano Ribeiro / Gazeta do Povo
Três pessoas foram presas acusadas de roubo a uma farmácia. Juarez de Moraes (dir) seria o principal alvo da chacina realizada em janeiro no bairro Barreirinha| Foto: Adriano Ribeiro / Gazeta do Povo

Foi preso na tarde desta quinta-feira (11) o homem que seria o principal alvo da chacina realizada no bairro Barreirinha, em Curitiba, no fim do mês de janeiro. Na ocasião, seis pessoas foram mortas durante a noite dentro de um barraco na Rua Albino Brun. Juarez de Moraes , de 30 anos, acusado de liderar um dos grupos de traficantes na região, conseguiu escapar com vida da chacina.

Ele e outras duas pessoas foram detidos pela Polícia Militar (PM). O trio é suspeito de cometer um assalto em uma farmácia na Avenida Erasto Gaertner, no Bacacheri, na madrugada desta quinta. Segundo o tenente do 20.º Batalhão da PM, Luiz Maywitz, equipes do serviço reservado buscaram o grupo durante todo o dia e conseguiram encontrá-los no início da tarde no bairro Barreirinha, em uma via próxima ao local onde ocorreu a chacina no último dia 29. "Quando os abordamos hoje (quinta-feira), eles tentaram fugir. Um deles até pulou em um rio que passa pela região, no entanto, todos foram pegos", disse Maywitz.

Imagens do circuito interno de segurança da farmácia teriam confirmado a participação dos três no roubo. Um pistola de brinquedo foi encontrada com o grupo. Além de Juarez, foram presos a namorada dele - Nitza Muniz, 27 - e Felipe Antunes, 18. O trio é suspeito de participação em outros crimes. Eles foram encaminhados para a Delegacia de Furtos e Roubos (DFR) e serão autuados em flagrante por roubo.

Ficha suja

Na época da chacina, investigações da Polícia Civil apontaram que o crime ocorreu em função de uma briga entre quadrilhas de traficantes que buscavam o controle da região do Barreirinha. O local era disputado por dois grupos, liderados por Ubitaran Xavier Fontoura, preso três dias após a chacina, e Juarez de Moraes, detido nesta quinta.

Segundo a polícia, para ganhar o ponto de tráfico, Fontoura pediu ajuda a um fornecedor de drogas que contratou três pessoas para executar o crime. O objetivo era matar Moraes e duas adolescentes que trabalhavam para ele na comercialização dos entorpecentes. As jovens foram executadas e Moraes conseguiu fugir.

Já Felipe Antunes, também preso no início da tarde, é acusado de ter ameaçado uma equipe de tevê que esteve no Barreirinha um dia após a chacina. O cinegrafista João Carlos Frigério e o repórter José Aparecido Alves, da CNT, foram até a Rua Albino Brun para conseguir melhores imagens do local do crime. Antunes parou os dois e apontou uma arma para a cabeça deles. Nervoso, o homem ameaçou matá-los o tempo todo. A razão seria que eles tinham afirmado que o local era conhecido como ponto de tráfico. Em um momento de distração, os dois conseguiram se afastar de Antunes e fugir.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.