Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Com o frio dos últimos dias, moradores de rua são os que mais sofrem para se aquecer | Daniel Castellano/Gazeta do Povo
Com o frio dos últimos dias, moradores de rua são os que mais sofrem para se aquecer| Foto: Daniel Castellano/Gazeta do Povo

Com o frio que faz na capital paranaense nos últimos dias, os moradores de rua ficam reféns dos termômetros. Mas uma ação voluntária que ocorre pelo segundo ano consecutivo em Curitiba está tentando estimular os curitibanos a compartilhar o calor dos seus casacos com aqueles que não têm onde morar. Um cabide apareceu nos últimos dias na Praça Carlos Gomes, no Centro. Nele é possível ler a frase: “Ei, morador de rua, está muito frio aí fora. Pegue um destes.”

Nesta tarde, calças, blusas e cachecóis estavam à disposição e prontos para serem utilizados pelos que precisamDaniel Castellano/Gazeta do Povo

Na tarde desta segunda-feira (6), calças, blusas e cachecóis estavam à disposição e prontos para serem utilizados pelos que precisam. O cabide tem a “assinatura” da Cruz Vermelha do Brasil e também do brechó Libélula. O aviso na “árvore solidária” – como foi chamada na página do Facebook da loja – pede honestidade aos transeuntes. “Por favor, seja honesto e deixe estas peças a quem realmente precisa.”

Em 2014, cabides com pedido de doação de agasalhos começaram a aparecer em vários pontos de Curitiba. A Praça Rui Barbosa e o Parcão (atrás do Museu Oscar Niemeyer) são alguns dos locais que receberam os suportes. Em cima do cabide havia uma mensagem: “Frio? Colabore, deixe aqui um agasalho para quem precisa. Seja educado e tenha bom senso, não retire mais do que você necessita. É dando que se recebe. Gentileza gera gentileza. Fraternidade”.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]