i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Absurdo

Presos promovem festas e fabricam cachaça dentro de presídio no Recife

O secretário-executivo de Ressocialização de Pernambuco, Humberto Inojosa, deixou o cargo nesta quarta-feira (7)

  • PorFolhapress
  • 08/01/2015 11:00

No mesmo dia em que um secretário de Estado pediu demissão após a divulgação de imagens de presos brigando Complexo Penitenciário do Curado, no Recife, um novo vídeo mostrou detentos fazendo festas com jogo de luzes e a fabricação de cachaça dentro do mesmo presídio.

O secretário-executivo de Ressocialização de Pernambuco, Humberto Inojosa, deixou o cargo nesta quarta-feira (7), antes da veiculação do novo vídeo pelo Jornal Nacional, na TV Globo.

Nas novas imagens, os presos aparecem circulando pelo presídio portando facas e celulares, consumindo drogas e fabricando um aguardente artesanal.

Outros detentos são mostrados em momentos de diversão: participando de uma festa com música eletrônica dentro de uma cela e jogando videogame.

Parte dos presos também aparece preparando material de construção para erguer "puxadinhos" em cima das celas.

Em outro pavilhão, são mostradas imagens com o comércio de alimentos e de material de limpeza. Parte dos detentos também ganha dinheiro trabalhando como barbeiro nos corredores do presídio.

A reportagem da TV Globo ainda exibiu a entrevista de um ex-detento que cumpriu pena por assalto até o ano passado. Ele afirma ser fácil adquirir drogas dentro do presídio, alegando que "todo pavilhão tem fornecedor".

"[Quando o detento não consegue pagar] Muitas vezes ele morre, fica aleijado. Perde um braço ou a vida", disse o ex-detento, que não quis se identificar.

A Secretaria-executiva de Ressocialização de Pernambuco foi procurada pela reportagem da Folha de S.Paulo, mas não comentou o assunto, alegando que o novo gestor da pasta ainda não foi empossado.

Em entrevista à imprensa local, o secretário estadual de Justiça e Direitos Humanos de Pernambuco, Pedro Eurico, afirmou que novos presídios serão construídos e prometeu intensificar as revistas dos presos.

Briga na cadeia

Na última segunda-feira (5), outro vídeo exibido pela TV Globo mostrava uma briga entre detentos armados com facas no mesmo presídio.

Na quarta, Inojosa, que estava havia três meses no cargo, pediu demissão. Assumiu o lugar dele o coronel reformado da Polícia Militar Éden Vespaziano.

A crise também motivou a realização de uma revista em um dos pavilhões na quarta-feira. Foram apreendidos 58 facões, 56 facas, 14 celulares, cachaça artesanal, cola de sapateiro, maconha e crack.

O Complexo Prisional do Curado é formado por de três presídios e abriga 7.000 presos. A unidade, contudo, tem capacidade para apenas 1.800 pessoas.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.

    Fim dos comentários.