i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Curitiba

Primeiro dia de acesso a micro-ônibus apenas com cartão tem manhã tranquila

Sindicato dos motoristas e cobradores e Urbs não registraram grandes problemas, apenas reclamações de alguns usuários que ainda não providenciaram o cartão-transporte

  • PorAntonio Senkovski
  • 01/08/2014 09:54
Pela manhã, passageiros conseguiram comprar créditos tanto para cartões convencionais quanto para os provisórios na Praça Carlos Gomes | Antonio Senkovski / Gazeta do Povo
Pela manhã, passageiros conseguiram comprar créditos tanto para cartões convencionais quanto para os provisórios na Praça Carlos Gomes| Foto: Antonio Senkovski / Gazeta do Povo
  • Bancas agora vendem revistas, jornais, doces, créditos de celular e outros itens, além de passagens para os ônibus da capital paranaense
  • Arcilene Cassia Machado sugeriu que as recargas do cartão-transporte possam ser feitas também nos terminais
  • Bárbara Walker, 20 anos, foi uma das pessoas que compraram cartões provisórios para poder usar nos micro-ônibus
  • Carla Winnekes contou que vai comprar um cartão para deixar de reserva em casa para a família, para o caso de alguma eventualidade
  • José Autenísio é proprietário de uma banca e ainda não sabe exatamente quantos créditos comprar para revender aos usuários do transporte coletivo
  • Máquina de recarga de passagens de ônibus é semelhante às utilizadas para passar cartões de crédito e débito

O primeiro dia em que o acesso às 62 linhas de micro-ônibus de Curitiba passou a ser permitido apenas com cartões transporte teve uma manhã sem grandes problemas nesta sexta-feira (1º). Usuários de micro-ônibus e também de outras linhas puderam comprar cartões provisórios com créditos e também recarregar os cartões tradicionais em bancas de jornal espalhadas pela cidade. Poucos pontos tiveram filas, mas em alguns locais faltaram créditos porque os donos de bancas podem comercializar apenas aquilo que adquiriram previamente com a Urbs.

Veja fotos do primeiro dia em que entrada nos micro-ônibus passou por mudanças

Dino César Mattos, diretor do Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Curitiba e Região Metropolitana (Sindimoc), acompanhou durante toda a manhã a movimentação no Centro da capital paranaense. Ele disse que alguns passageiros ficaram nervosos por não poder entrar nos micro-ônibus utilizando dinheiro, mas que não presenciou nenhum tumulto maior por causa disso. "Pude ver alguns problemas pontuais, mas nada que não possa ser ajustado. O importante é que melhorou a segurança do trabalhador".

A mudança faz parte de um pacote de melhorias no sistema de bilhetagem eletrônica da Rede Integrada de Transporte (RIT) anunciado pela Urbs no último dia 10. Mas a alteração no sistema, antes de mais nada, resolve uma determinação da Justiça do Trabalho que veda a dupla função em micro-ônibus. Uma lei impede que motoristas exerçam o papel dos cobradores (a chamada dupla-função).

A Urbs, via assessoria de imprensa, disse que não registrou problemas na operação da RIT.

Usuários e dono de banca se adaptam a novo sistema

José Autenísio, 45 anos, é dono da Banca Carlos Gomes, que fica na praça que dá nome ao estabelecimento. O local tinha bastante movimento pela manhã, a maioria de pessoas que recarregavam o cartão convencional do transporte. "Estou tentando me informar ao máximo, porque as pessoas sempre têm dúvidas. O que ainda não foi possível saber é quanto crédito eu preciso comprar, porque só podemos vender a quantia que compramos na Urbs. Isso é um problema, é difícil quem tenha dinheiro disponível."

O proprietário da banca também explicou que recebe R$ 1 por operação, independentemente do valor. Ele comparou o exemplo de alguém que compra cinco passagens e de alguém que compra 100 passagens. Mesmo que ele tenha investido R$ 270 na compra de 100 passagens, ele vai receber R$ 1 por essa operação. É o mesmo que ele recebe por vender, por exemplo, cinco passagens, que custam a ele R$ 13,50. "Esse movimento de dinheiro também aumenta o nosso risco de assalto, ainda estamos nos adaptando a todas essas coisas."

A usuária do transporte coletivo Arcilene Cassia de Machado tem um cartão-transporte convencional se queixou do fato de não ter como recarregar nos terminais. "Gostar, eu não gostei, porque causou um transtorno a mais para quem quer pegar o micro-ônibus e está sem cartão. Deveria ter como comprar crédito nos terminais também. Bom foi para o motorista, porque antes era ruim para dirigir e fazer troco."

Já para Carla Winnikes, auxiliar administrativa, pegar o ônibus nesta manhã foi um malabarismo. Sem créditos no cartão-transporte, ela teve de pegar o do marido emprestado para poder chegar ao Centro. "Eles deram pouco tempo, deveria ter sido dado um prazo maior para que todos pudessem se adequar a tempo. Agora vou ter que comprar um cartão para deixar de reserva em casa para alguma eventualidade, porque meu marido quase não usa ônibus."

Nos 15 minutos em que a reportagem ficou na banca, apenas uma pessoa comprou um cartão provisório. A estudante Bárbara Caio Walker comprou por R$ 3 o cartão e recarregou cinco passagens. "Achei uma boa ideia, antes tinha que ir lá recarregar na Urbs. Agora a gente tem dinheiro e pode passar na banca, comprar créditos mais vezes."

Usuários compram passagens de ônibus em bancas

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.