i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Educação

Saiba como tornar o intercâmbio realidade mesmo com a crise

    • Agência O Globo
    • 03/05/2016 21:15
     | Daniel Castellano/Gazeta do Povo/Arquivo
    | Foto: Daniel Castellano/Gazeta do Povo/Arquivo

    Planejamento, fixação de metas, viagem em família, procurar destinos mais baratos podem fazer os planos de estudar fora se tornar realidade e isso mesmo com a recessão. A queda recente do dólar também ajuda a diminuir os custos com a compra da moeda. O professor de Finanças do Ibmec/RJ Gilberto Braga, aconselha a fixar metas, se planejar e cortar gastos.

    “Quem cria uma meta pensa duas, três vezes antes de gastar com itens que não são essenciais. [É preciso] montar um plano de compras mensais de moeda estrangeira e, claro, pesquisar bastante. O tipo de acomodação e o pacote também são escolhas fundamentais. “O tipo de acomodação, por exemplo, é algo que varia muito e é possível economizar bastante em alguns padrões. Também é importante saber o que cada pacote inclui. Em alguns casos é melhor incluir a alimentação na escola, por exemplo, do que ter que arcar com esse custo diariamente”, destaca.

    De acordo com Eduardo Heidemann, diretor de intercâmbio da Travelmate, realizar um intercâmbio com a família também pode sair mais em barato. O administrador Bonifácio Silva e a sua mulher, a comerciante Fernanda Freitas, vão juntos com a filha Maria Eduarda, de 14 anos, para Vancuver, no Canadá, em setembro deste ano. Bonifácio vai estudar marketing e Maria Eduarda terá o direito de estudar gratuitamente no país. Eles estão planejando a viagem há quase dois anos.

    “O programa de família é um investimento um pouco mais alto, mas vale a pena. Abrimos mão de viagens, minha filha saiu do balé, cortamos todos os gastos possíveis e fizemos muita pesquisa. É preciso economizar bastante, mas é possível”, diz Fernanda Freitas.

    Custos

    Heidemann aconselha que se preparar de seis a nove meses antes da viagem. A recessão fez esse prazo subir. Antes da crise, com quatro a seis meses de preparação era possível planejar a viagem e manter o custo baixo.

    Segundo Heidemann a procura por países com custo de vida mais baixo cresceu nos últimos meses. Os destinos com preços mais competitivos são Canadá, Austrália, Nova Zelândia e África do Sul. Já Estados Unidos e Inglaterra estão na lista dos mais caros.

    O custo médio de um programa de intercâmbio de estudo de inglês com acomodação e café da manhã para um mês – calculado com o câmbio em R$ 3,491 – para Vancouver e Toronto, no Canadá e Cidade do Cabo, na África do Sul é de R$ 5.500. Já em Nova York, esse valor pula para R$ 9 mil e em Londres para R$ 10.200.

    Outro ponto importante é a escolha do pacote, diz Heidemann. Os mais acessíveis são os com possibilidade de trabalho. Há agências que parcelam o valor do programa de intercâmbio em até 24 vezes e não exigem que a viagem seja quitada até o dia do embarque.

    Deixe sua opinião
    Use este espaço apenas para a comunicação de erros
    Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 0 ]

    Máximo 700 caracteres [0]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.