i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Educação

Secretaria discorda de estudo da CNA, mas não mostra números

  • PorMaria Gizele da Silva, da sucursal
  • 17/06/2010 21:04

Das 2.136 escolas da rede estadual do Paraná, 584 são consideradas rurais. O coordenador da Educação do Campo pela Secretaria de Estado da Educação (Seed), Vitor de Mo­­raes, discorda dos números apontados pela CNA e diz que todos os programas ofertados nas escolas urbanas são levados às rurais no Paraná. Ele afirma que o estado se antecipou ao Ministério da Educa­ção (MEC) e criou, em 2003, o departamento de Educação do Campo na secretaria. "Isso foi motivado por um novo olhar na educação do campo, mas as políticas públicas ainda estão em construção", admite, lembrando que a secretaria presta cursos de formação continuada específicos aos professores que atuam no campo. "Queremos fornecer uma educação ampla ao aluno do campo, que possa mais tarde escolher entre seguir o mercado de trabalho da cidade ou se manter no campo", analisa.

Confortável

A pesquisa da CNA averiguou 10 estados, entre eles o Paraná. A Seed não divulgou dados que confrontem a pesquisa nacional, mas Moraes citou que a situação no Paraná é confortável em relação aos outros estados. A infraestrutura das escolas rurais contempla televisão multimídia, além de outros recursos, como DVD, videocassete e quadra poliesportiva.

Douglas Gebeluka, diretor do Colégio Estadual Baldomero Bittencourt Taques, no distrito de Alto do Amparo, considera sua escola um bom exemplo da educação rural. "O prédio é novo, foi inaugurado em 2007, e nós temos um laboratório de informática com 20 computadores, sala de projeções, quadra e biblioteca", enumera. A conexão é via rádio, mas suficiente para as pesquisas escolares. O colégio atende 650 alunos, todos moradores do campo.

Na rede municipal, em Ponta Grossa, a história se repete. Se­­gundo a secretária municipal de Educação, Zélia Marochi, as escolas rurais e urbanas "são tratadas com equidade". Os alunos da zona rural têm acesso aos mesmos programas destinados aos estudantes da cidade. A secretária comenta que, apesar de o município também ter gastos com transporte escolar de alunos que precisam se deslocar do campo para o centro, o orçamento é planejado para garantir infraestrutura na área rural. "Todas as escolas já passaram por reformas", aponta. (MGS)

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.

    Fim dos comentários.