Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...

Em meio à discussão sobre a redução da maioridade penal no Brasil, mais um caso que envolve adolescentes foi registrado em Curitiba. O suspeito de ter atirado em dois rapazes, de 15 e 17 anos, no Centro, em maio, também é menor de idade. O jovem de 16 anos se apresentou à Delegacia de Homicídios na terça-feira (4) e foi encaminhado para a unidade especializada.

O suspeito foi identificado por imagens de câmeras de segurança nas proximidades do Terminal do Guadalupe, onde ocorreu o crime. Segundo o delegado Anderson Cassio Ormeni Franco, o jovem entrou em um estacionamento depois de atirar e fugir em uma motocicleta. À polícia, ele disse que discutiu com as vítimas por uma disputa por ponto de venda de produtos falsificados.

Os adolescentes que foram baleados, por outro lado, contaram aos investigadores que vendem CDs e DVDs na esquina da Rua Pedro Ivo. "Eles falaram que o suspeito era o fornecedor desses produtos, mas como teve uma apreensão da polícia, eles ficaram com uma dívida com o fornecedor", disse o delegado. O suspeito teria ido cobrar a dívida no dia do crime, como informou a polícia.

As vítimas foram atingidas por dois tiros cada. Eram aproximadamente 17 horas do dia 15 de maio, quando a dupla discutiu com o suspeito, que, em seguida, atirou. Os tiros foram disparados na esquina, mas os adolescentes ainda correram e caíram no meio da quadra, entre as ruas Pedro Ivo e Marechal Deodoro. Eles já tiveram alta do hospital e passam bem, de acordo com a polícia.

Outro caso

Foi preso, na manhã desta quarta-feira (5), o suspeito de ter matado um funcionário da Sanepar, em setembro do ano passado, durante um assalto no qual foram levados R$ 5 da vítima. O crime ocorreu na Rua Otávio Saldanha Mazza, no Pinheirinho, em Curitiba. Felipe Iarrocheski, hoje com 18 anos, tinha 17 na época.

"Ele vai ser beneficiado porque era menor quando cometeu o crime e não deve ficar preso", disse o delegado da Homicídios, Rubens Recalcatti. O suspeito agiu acompanhado de outro rapaz, identificado como Tharles Silva, conhecido como Charles. O segundo suspeito ainda está sendo procurado.

Recalcatti disse que Iarrocheski era conhecido como "o terror do Pinheirinho". Ele está envolvido em outros homicídios e roubos. Em um dos assaltos, o comparsa dele foi morto no Umbará", relatou.

A vítima, Gérson Luiz Frazão, 52 anos, voltava para casa depois do trabalho, quando foi abordado por dois assaltantes. Frazão levou duas facadas no abdômen, uma nas costas e uma em cada braço, segundo a polícia.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]