i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
transporte coletivo

TC manda prefeitura suspender reajuste da tarifa de ônibus em Curitiba

Valor da passagem havia subido de R$ 3,70 para R$ 4,25 na segunda-feira da semana passada

  • PorFernando Martins, Laura Beal Bordin e Durval Ramos, especial para a Gazeta do Povo
  • 13/02/2017 14:36
 | Daniel Castellano/Gazeta do Povo
| Foto: Daniel Castellano/Gazeta do Povo

O conselheiro do Tribunal de Contas do Paraná (TC) Ivan Bonilha determinou nesta segunda-feira (13), por meio de medida cautelar, a suspensão imediata do reajuste da passagem de ônibus em Curitiba. O valor da tarifa havia sido reajustado de R$ 3,70 para R$ 4,25 no último dia 6. A decisão do TC vale exclusivamente para Curitiba e não abrange os municípios da Região Metropolitana.

LEIA TAMBÉM: Impasse sobre tarifa de ônibus cria dia de incertezas em Curitiba

O TC informou que notificou a prefeitura e a Urbs sobre a decisão. Segundo o Tribunal, a medida tem teria imediato a partir da notificação, que foi feita à Procuradoria-Geral do Município às 15h30. Ou seja, pelo caráter imediato da decisão medida cautelar, a passagem deveria baixar. A Urbs, porém, informou que a tarifa não deve baixar nesta terça-feira (13), pois não tem condições técnicas de modificar o sistema em pouco tempo. Por ora, a passagem cobrada continua no valor de R$ 4,25.

A prefeitura de Curitiba informou ainda, em nota, que a Urbs já foi notificada e que vai analisar a situação e recorrer da decisão de Bonilha.

Google Maps agora mostra o horário dos ônibus de Curitiba em tempo real

Leia a matéria completa

Segundo o TC, um dos argumentos para suspender o aumento da passagem foi a falta de transparência nos cálculos que levaram a prefeitura a reajustar a tarifa. Bonilha também considerou inválida a justificativa de que o aumento vai permitir a renovação da frota de ônibus. Isso porque parte da tarifa de R$ 3,70 já estava reservada para a compra de veículos novos, segundo o contrato do sistema de transporte público.

O inspetor da 4.ª Inspetoria de Controle Externo do TC, Rodrigo Damasceno, afirmou que o fundamento do aumento da passagem de ônibus não é claro. “O TC está analisando a tarifa do transporte e falta transparência. A renovação da frota que consta como argumento para o aumento da passagem já está previsto na licitação do transporte. O contribuinte está pagando duas vezes”, afirmou.

Na decisão, o conselheiro do TC ainda intimou a prefeitura de Curitiba, na figura do prefeito Rafael Greca, e a Urbs, na pessoa do presidente José Antonio Andreguetto, para prestar informações detalhadas sobre o aumento da tarifa no prazo de cinco dias.

A decisão de Bonilha será levada ao plenário do TC na próxima quinta-feira (16) para ser chancelada ou rejeitada pelos demais conselheiros do tribunal. O acórdão deve ser firmado pelo Tribunal até o final de fevereiro.

A mais cara

Desde que a tarifa foi reajustada em 15%, Curitiba era a capital com o transporte público mais caro do Brasil. O valor da passagem na capital paranaense passou a ser maior que o de cidades como São Paulo, Rio de Janeiro e até mesmo de Belo Horizonte, que liderava a lista até então, onde a passagem custa R$ 4,05.

A prefeitura justificou o reajuste como “necessário para recompor o equilíbrio econômico-financeiro do sistema de transporte público e permite a retomada de investimentos que tragam melhorias para os passageiros”. Em nota na qual explicou o aumento, o município informou que o reajuste, além da renovação da frota, irá permitir a implantação do ônibus ligeirão para atender a linha Santa Cândida-Capão Raso.

O Sindicato das Empresas de Ônibus de Curitiba e Região Metropolitana (Setransp), na época do anúncio do reajuste, informou que a elevação da tarifa para R$ 4,25 não iria alterar a remuneração das empresas, que continuam recebendo R$ 3,6653 por passageiro pagante. Para as empresas que operam o sistema, porém, havia a expectativa de que a tarifa-técnica também fosse reajustada no próximo dia 26 de fevereiro – data prevista em contrato para estabelecer o novo valor a ser paga às concessionárias.

Também ocorre neste mês as negociações para o reajuste salarial de motoristas e cobradores – um dos principais custos do sistema. Os trabalhadores do sistema de transporte coletivo pedem 15% de reajuste salarial, abono de R$ 500 e auxílio-alimentação igual ao pago aos trabalhadores da Urbs.

Pela proposta dos funcionários, o salário-base deve alcançar R$ 977,22, somando o auxílio-alimentação de R$ 670,48 e o crédito no cartão-alimentação de R$ 306,74. Hoje, o benefício pago é de R$ 500 mensais, por meio de um cartão alimentação. Se levado em conta apenas o valor pedido inicialmente pelo Sindicato de Motoristas e Cobradores (Sindimoc), o impacto na tarifa técnica seria de pelo menos R$ 0,22.

Colaborou Rogerio Waldrigues Galindo

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.