Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Temer (à dir.) e Cármen Lúcia, na posse da ministra como presidente do STF | Carolina Antunes/PR
Temer (à dir.) e Cármen Lúcia, na posse da ministra como presidente do STF| Foto: Carolina Antunes/PR

O presidente Michel Temer se reuniu na manhã deste sábado (7), por cerca de duas horas e meia, com a presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, para tratar da crise nos presídios, agravada com os assassinatos de presos em Roraima e Amazonas.

O encontro, que ocorreu na casa da ministra, no Lago Sul, em Brasília, não estava registrado na agenda oficial de nenhum dos dois.

Secretário de Temer diz que “tinha que matar mais” nos presídios e sai do governo

Leia a matéria completa

Temer deixou o Palácio do Jaburu, residência oficial da Vice-Presidência, por volta das 10 horas e seguiu para a reunião. Para não chamar a atenção, usou um carro prata, sem identificação, e não os tradicionais veículos oficiais pretos da Presidência da República. Ao sair, acenou para jornalistas, mas não deu declarações.

O presidente já havia conversado por telefone com Cármen Lúcia na sexta-feira (6). O encontro entre os dois estava previsto inicialmente para domingo (8), mas Temer solicitou que fosse antecipado diante da gravidade da situação.

A reportagem apurou que o presidente está preocupado com o “efeito dominó” das rebeliões em várias regiões do país.

Até agora, o Palácio do Planalto não conseguiu acertar o passo na estratégia de comunicação ao indicar que a segurança pública é, em primeiro lugar, uma questão a ser tratada pelos estados. Nos bastidores, até mesmo ministros admitem que o governo federal passou uma imagem de “omissão” logo na virada do ano.

Agentes impediram rebelião no Paraná que poderia ter mesma proporção do Amazonas e Roraima

Leia a matéria completa

Na tentativa de não levar a crise para o Planalto, Temer demorou a se posicionar sobre a matança no presídio de Manaus. Depois, falou em “acidente pavoroso” e a expressão ganhou mais destaque do que as medidas anunciadas, como a construção de cinco presídios federais, consideradas um “factoide” até por aliados.

Na quinta-feira (5), Cármen Lúcia esteve em Manaus e se reuniu com presidentes de Tribunais de Justiça da região para discutir os problemas do sistema carcerário.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]