i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Curitiba

Terceiro acusado de matar herdeiro da Disapel será julgado

Sebastião Cândido Gouveia é suspeito de ter participado do crime e acusado de homicídio duplamente qualificado. Audiência será aberta ao público

  • PorFernanda Trisotto
  • 15/09/2010 14:08

O terceiro acusado de envolvimento na morte de Paulo Gustavo de Freitas Turkiewicz, herdeiro da rede de lojas Disapel, que foi adquirida pelo Ponto Frio em 2000, será julgado na quinta-feira (16), em Curitiba. Sebastião Cândido Gouveia é acusado de homicídio duplamente qualificado. Outras três pessoas são acusadas de participação no crime, que aconteceu em 2003. Rogério Juliano Gonçalves e Altaídes Prestes Lemos já foram julgados e condenados. O outro suspeito, o advogado Guilherme Navarro Lins de Souza deve ser julgado no próximo mês.

O julgamento vai acontecer no Tribunal do Júri de Curitiba, a partir das 9 horas desta quarta. A audiência será aberta ao público. A irmã da vítima, Ana Cristina de Freitas Turkiewicz, afirma que a família está confiante para o julgamento. "Acreditamos na justiça e acreditamos que ele será condenado, assim como os outros", diz.

Crime

Turkiewcz foi morto com três tiros na cabeça e um no tórax em abril de 2003, no estacionamento de uma academia de tênis localizada no bairro Santa Felicidade. Na época do assassinato, ele tinha 31 anos e havia casado há pouco mais de um ano.

Segundo o Ministério Público, o advogado Guilherme Navarro Lins, amigo íntimo da vítima, teria sido o mandante do crime. Ele teria contratado Sebastião Cânido Gouveia para executar Tur­kiewicz. Gouveia e Gonçalves te­­riam agenciado o atirador, Lemos. O advogado teria pago R$ 25 mil pela execução, a fim de acobertar o desvio de dinheiro feito para contas próprias – os recursos viriam do remanejamento do patrimônio restante da extinta Disapel, em grande parte remetido a contas no exterior.

Outra versão apurada na época das investigações é de que Turkiewicz, responsável pela massa falida das Lojas Disapel, teria participado das aplicações feitas no exterior e teria desviado R$ 2 milhões, o que teria irritado o ad­­vo­­gado, cúmplice da fraude.

Julgamentos

Rogério Juliano Gonçalves, de 42 anos, foi o primeiro acusado a ser julgado, em 2008. Ele foi condenado a 12 anos de prisão por homicídio duplamente qualificado, mas teve a pena aumentada para 14 anos e 8 meses depois que a família da vítima recorreu da sentença. Gonçalves confessou que levou o pistoleiro Altaídes Prestes Lemos até o local do crime.

Lemos foi julgado e condenado em 2009 a 21 anos de prisão. Ele foi acusado de homicídio duplamente qualificado, por crime hediondo, praticado sob encomenda e sem a possibilidade de defesa da vítima. No julgamento, ele foi apontado como o autor dos disparos que mataram a vítima. Os dois acusados aguardaram o julgamento presos. Já Sebastião Cândido Gouveia e o advogado Guilherme Navarro Lins de Souza aguardam o julgamento em liberdade. As audiências dos dois acusados já foram adiadas por, pelo menos, três vezes. Gouveia será julgado nesta quinta-feira (16). Já o julgamento de Souza deve acontecer no dia 4 de outubro.Empresa

A rede de lojas Disapel, fundada na década de 1970, teve sua falência decretada em junho de 2000, ocasião em que contava com 81 filiais distribuídas nos três estados do Sul do país – 36 no Paraná, 20 em Santa Catarina e 25 no Rio Grande do Sul. As lojas foram levadas a leilão, e adquiridas por R$ 12,1 milhões pelo Ponto Frio.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.