i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Violência

Uma mulher é assassinada e outra encontrada morta no Uberaba

Os dois crimes estão fora da área de saturação da Unidade Paraná Seguro, que ocupa o bairro desde a semana passada

  • PorHeliberton Cesca
  • 05/03/2012 15:17

O bairro Uberaba, em Curitiba, registrou neste fim de semana dois homicídios. Porém, os dois casos estão fora da área de saturação realizada pela ocupação da Unidade Paraná Seguro (UPS) desde a última quinta-feira (01) pela Polícia Militar (PM), Polícia Civil (PC) e Guarda Municipal (GM) com o objetivo de reduzir os índices de criminalidade na região. Na noite da última sexta-feira (02), uma adolescente de 17 anos foi assassinada na Vila Lorena e no domingo (04) o corpo de uma mulher foi encontrado em avançado estado de putrefação em um terreno baldio próximo a avenida Comendador Franco.

O primeiro homicídio aconteceu na rua Rosalina Casari, na divisa entre os bairros Boqueirão e Uberaba. A jovem foi morta a tiros. O delegado da Delegacia de Homicídios (DH), Cristiano Quintas dos Santos, contou que a linha de investigação do caso é que a morte da adolescente é resultado de uma briga de gangues pelo tráfico de drogas no local. "O que nos informaram é que existem dois grupos (de tráfico). Ela teria virado casaca. Estava em um grupo e passou para outro e por isso teria sido morta."

Segundo ele, essas informações serão verificadas durante a investigação e já há pistas sobre o autor da morte. "Já temos a suspeita do autor e agora estamos verificando. Ele teria ameaçado a família dela também", revelou o delegado.

No segundo assassinato, moradores da região chamaram a polícia devido ao forte cheiro oriundo de um terreno baldio próximo ao número 7.800 da avenida Comendador Franco, conhecida como Avenida das Torres. No local, foi encontrado o corpo de uma mulher não identificada já em decomposição com idade aparente de 25 anos. Próximo a ela, os policiais encontraram um cachimbo usado para o consumo de crack.

O delegado da DH, Jaime da Luz, que investiga a morte dessa mulher, disse que ela tinha um corte na nuca e que, provavelmente, ela morreu espancada. O agressor teria utilizado um pedaço de concreto para bater na mulher, já que o objeto tinha marcas de sangue e estava próximo ao corpo. "O corpo estava ali de sete a dez dias", explicou. Segundo ele, a investigação já iniciou, mesmo a mulher ainda não ter sido identificada pelo Instituto Médico Legal (IML).

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.