i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Paraná

Umuarama está entre as 10 cidades que mais sofrem com desastres naturais

De acordo com estudo do Ceped/UFSC e Sedec, 18 ocorrências foram registradas nos últimos 20 anos no município, que ocupa o oitavo lugar no ranking

  • PorTatiane Salvatico
  • 20/09/2012 08:26
 |
| Foto:

Paraná

O fenômeno mais recorrente entre 1991 e 2010 no Paraná – principalmente na região Sudoeste – foram os vendavais. Em seguida, nesta ordem, aparecem as inundações bruscas (as populares enxurradas), as chuvas de granizo e as estiagens – como a de 2005, em que os prejuízos à agricultura paranaense ultrapassaram R$ 1 bilhão.

O levantamento não contabilizou os estragos físicos e prejuízos financeiros causados pelos eventos, mas registrou o total de pessoas afetadas nos últimos 20 anos: pelo menos 3,6 milhões de paranaenses foram atingidos de alguma maneira, em 355 dos 399 municípios. Esses números colocaram o Paraná em sexto lugar no ranking dos estados que mais registraram desastres naturais no período.

A Região Sul foi responsável por 34% dos 31,9 mil eventos extremos registrados no país. A chuva, seja em pouca ou grande quantidade, foi o catalisador dos desastres na região: 62% das ocorrências foram de estiagens e enxurradas.

Umuarama está entre os dez municípios paranaenses que mais sofreram com desastres naturais no Paraná nos últimos 20 anos. Segundo levantamento do Centro Universitário de Estudos e Pesquisas sobre Desastres da Universidade Federal de Santa Catarina (Ceped/UFSC), em parceria com a Secretaria Nacional de Defesa Civil (Sedec), 18 eventos climáticos de grandes proporções foram registrados na localidade no período, dos quais 11 foram vendavais intensos, normalmente acompanhados de raios e trovões.

No ranking, Umuarama aparece em oitavo lugar. Antes deles, a lista traz, em ordem decrescente, Cascavel, Francisco Beltrão, Guarapuava, Pato Branco, Santo Antônio do Sudoeste, Marmeleiro e Salto da Lontra. O nono e o décimo lugares são, respectivamente, de Barracão e Dois Vizinhos.

De acordo com a meteorologista do Instituto Tecnológico do SimeparScheila Paz, Umuarama está localizada em uma área de transição de condições atmosféricas, o que aumenta a incidência de fenômenos climáticos intensos. Além disso, está entre as áreas de maior concentração de descargas atmosféricas, como raios e trovões, do Paraná. "A região tem predomínio de temperaturas elevadas que entram em choque com as massas de ar frio provenientes da região Sul e Sudoeste do estado", explica. "Essa é a combinação ideal para tempestades acompanhadas de fortes vendavais."

Além dos vendavais, a cidade registrou nos últimos 20 anos três inundações causadas pela chuva intensa ou transbordamento de rios e afluentes, duas tempestades de granizo, uma longa estiagem e um outro evento climático não detalhado pelo levantamento do Ceped/UFSC e Sedec.

Número de desastres pode ser ainda maior

Integrante do Ceped/UFSC, Jairo Ernesto Krüger destaca que o levantamento é apenas um primeiro passo para outras pesquisas. "Não estamos 100% certos. Agora, o objetivo é que outras universidades e órgãos evoluam nessas questões [contagem de desastres naturais]", diz.

De acordo com dados da Defesa Civil do Paraná, somente nos últimos 12 meses, por exemplo, foram registradas duas enxurradas ou inundações bruscas e um alagamento em Umuarama.

Segundo o major Jorge Inácio da Silva, da Defesa Civil de Maringá, responsável pela região de Umuarama, o número de ocorrências do último ano é, proporcionalmente, maior do que o registrado nas duas últimas décadas. "Isso acontece porque no relatório da Defesa Civil aparecem todas as ocorrências: de pequenas e de grandes proporções."

Silva explica que, de acordo com os critérios do Corpo de Bombeiros, os desastres naturais são caracterizados de acordo com a proporção e número de atingidos pelo acidente. "Quando o caso extrapola a capacidade de atendimento de uma unidade de Defesa Civil, consideramos uma situação de catástrofe", esclarece.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.