A Urbanização de Curitiba (Urbs) lançou nesta quinta-feira (19) o edital de licitação para a contratação de serviços de monitoramento eletrônico de trânsito, por meio de radares e lombadas eletrônicas. De acordo com o edital, empresas interessadas deverão apresentar suas propostas em sessões públicas marcadas para o dia 6 de abril, às 9 horas para radares, e às 14 horas para barreiras eletrônicas, no auditório da sede da Urbs, na Estação Rodoferroviária de Curitiba.

A íntegra do edital está disponível para acesso público no portal de internet da Urbs, no link Licitações, que fica no menu do lado esquerdo da página inicial.

A preparação da licitação começou no ano passado, com uma audiência pública, em agosto. Com base nos debates da audiência, foi elaborada a minuta do edital. O uso de equipamentos eletrônicos está previsto no artigo 280 do Código de Trânsito Brasileiro.

Radares

O edital de licitação prevê a substituição, a manutenção e a operação de todos os radares da cidade: 70 para medição de velocidade; 42 que também registram avanços de sinal e parada sobre a faixa de pedestres; e 28 que também registrarão conversões e retornos em local proibido.

A empresa contratada deverá estar preparada para atender a eventual necessidade de relocação dos equipamentos, que será definida pela Diretoria de Trânsito (Diretran) da Urbs, através de estudos de engenharia e de pedidos da população.

Segundo a Urbs, a posição inicial dos radares, indicada no anexo do edital de licitação, é resultado da análise de cerca de 10 mil pedidos recebidos de cidadãos por meio da central telefônica 156 nos últimos quatro anos.

Lombadas eletrônicas

O contrato das barreiras eletrônicas, também conhecidas como lombadas eletrônicas, prevê a instalação de 50 equipamentos. O serviço é feito atualmente pela própria Diretran, com 42 equipamentos que foram comprados em 1998, dos quais apenas 25 estão funcionando, devido a problemas de vandalismo, colisões de veículos, além da falta de peças de reposição disponíveis no mercado.

O novo contrato das barreiras, assim como de radares, não prevê a compra de equipamentos, mas a prestação completa do serviço, com a instalação, operação e manutenção da fiscalização eletrônica. A duração inicial também será de 24 meses. A localização dos equipamentos também está em anexo ao edital.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]