Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...

Banhe-se em local adequado

- Não entre no mar quando houver a indicação de que o local é impróprio para banho. A distância aconselhável é de 200 a 500 metros da placa de orientação.

- Evite entrar no mar perto de locais onde há despejo de esgoto doméstico.

- Evite se banhar 48 horas após chover intensamente. - Durante a maré baixa, a contaminação é maior.

- Não leve animais para a praia.

Fonte: IAP

Bactéria causa uma série de doenças

A ingestão da água contaminada com a bactéria Escherichia coli (E.Coli) pode causar infecção digestiva e resultar em uma desidratação com febre, vômito e diarréia. Nos olhos pode causar conjuntivite infecciosa. "É uma cadeia de fatores. Nos casos mais graves, a contaminação da bactéria pode comprometer alguns órgãos, como o intestino, e aliado a uma forte desidratação pode levar até à morte", afirma, Luiz Carlos Pereira, chefe de Dermatologia e diretor clínico da Santa Casa de Misericórdia de Curitiba.

O médico alerta que as pessoas contaminadas com a E.coli podem transmitir doenças quando há falhas de higiene, principalmente na manipulação de alimentos.

Além disso, a água do mar também pode conter outros tipos de bactérias, um deles é o bacilo estafilococos, que causa infecções de pele, como bolhas e inflamações. "O sal do mar e o sol excessivo deixam a pele mais sensível, produzindo queimaduras, que facilitam a contaminação", explica Pereira.

O diretor clínico da Santa Casa ressalta que é preciso ter atenção com as crianças, por terem a pele mais sensível. E em caso de suspeita de contaminação é preciso procurar um médico.(FL)

O quarto Boletim de Balneabilidade das praias, divulgado nesta quarta-feira (7) pelo Instituto Ambiental do Paraná (IAP), teve o pior resultado da temporada até agora. Apenas quatro dos 43 pontos analisados estão próprios para banho. A situação piorou em relação ao estudo anterior, de 31 de dezembro de 2008. Naquele boletim eram seis pontos próprios para banho.

Segundo o secretário estadual do Meio Ambiente, Rasca Rodrigues, a grande quantidade de pessoas no Litoral no ano-novo fez com que 39 pontos fossem considerados impróprios. "Não tínhamos nenhum imóvel vazio nas praias no Revéllion. Com tanta gente no Litoral, a balneabilidade piorou" afirma Rasca.

Três dos quatro pontos que foram bem avaliados estão em Matinhos: em frente ao Sesc e nos balneários Ipacaray (próximo à Rua Ponta Grossa) e Solymar (à direita do Camping Club). O outro ponto próprio fica em Praia de Leste (à esquerda da Avenida Copacabana) - ponto o qual havia sido considerado impróprio no boletim anterior.

Pela primeira vez Guaratuba não teve nenhum dos pontos analisados considerado próprio para banho. Três pontos pioraram a qualidade da água em comparação ao boletim do dia 31. São eles nos balneários Brejatuba (Rua Jacarezinho), Eliane (à esquerda da Rua Reo Benet) e Nereidas (Costa Rica).

Segundo o secretário, se fossem analisados os dados apenas da última coleta (5 de janeiro), seriam sete os pontos próprios para banho. O boletim do IAP é o resultado comparativo das últimas cinco amostras coletadas. Um ponto é considerado impróprio quando o último resultado for superior a 2.000 bactérias de Escherichia coli (E.coli) por 100 milílitros, ou se duas ou mais amostras apresentarem índices superiores a 800 E.coli por 100 milílitros.

A falta de tratamento de esgoto contribuiu para esse baixo índice de pontos próprios. "Ainda é baixa a adesão das residências à rede de tratamento de esgoto. Estamos fazendo o possível para melhorar a situação", disse Rasca, referindo-se às ações da Sanepar, que está lacrando as ligações irregulares de esgoto. Outros elementos que teriam feito a balneabilidade piorar, de acordo com o secretário, foram os dias de chuva durante o ano-novo e a direção dos ventos na costa paranaense, que impediu que a água da beira-mar levasse o esgoto doméstico embora.

Bactérias

Mesmo com mais pontos impróprios para banho, houve redução na quantidade de bactérias Escherichia coli no mar na coleta do dia 5 de janeiro. Em Matinhos, o ponto em frente ao Mercado dos Pescados apresentou 1.890 bactérias a cada 100 mililitros de água. No dia 2 de janeiro eram 23 mil bactérias a cada 100 mililitros. No ponto à esquerda do morro, a poluição caiu de 33 mil E.coli para 1.972 a cada 100 mililitros de água. E em Guaratuba, à direita do Rio Prainha caiu 70 mil E.coli para 1.737 a cada 100 mililitros.

Os pontos que não têm placas com a indicação da qualidade são considerados próprios para banho pelo IAP porque não há grande quantidade de esgoto doméstico despejado e em análises anteriores nunca foram considerados impróprios.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]