i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Caso Mércia

Vigia afirma que Mizael matou advogada por ciúmes

Evandro Silva foi preso na sexta em Sergipe. Segundo o suspeito, ex-namorado da advogada foi o autor do crime

  • PorG1/Globo.com
  • 12/07/2010 06:40

Imagens gravadas pela Polícia Civil mostram o depoimento do vigia Evandro Bezerra da Silva, preso na sexta-feira (9), em Sergipe, por suspeita de participação na morte da advogada Mércia Nakashima. Ele foi indiciado por homicídio qualificado.

O depoimento durou três horas e foi gravado na superintendência da polícia em Aracaju, capital do Sergipe. No domingo (11), o G1 antecipou o conteúdo do depoimento.

Aos policiais, Evandro afirma que foi o principal suspeito do crime, o ex-namorado de Mércia, o advogado e ex-policial militar Mizael Bispo de Souza, que a matou. Ele conta que o advogado começou a planejar a morte da ex-namorada no início de maio e que o chamou para ajudá-lo. O motivo do crime seria ciúme.

"Ele suspeitava que ela andava traindo ele, né? Que estava tomando chifre. Ele falava que ela humilhava ele, desligava o telefone. A vida dele era andar atrás dela. Ele sempre andava procurando ela", disse o vigia.

O preso admitiu que estava com o ex-namorado de Mércia no dia em que ela foi assassinada, e que os dois se encontraram no posto de combustível onde ele trabalhava como segurança.

"No sábado ele me procurou no posto. Ele falou pra mim: ‘ó, o que é ruim vai acontecer nesse final de semana e você vai me pegar lá’. Quando eu cheguei lá, ele já tava subindo, ele só falava ‘me leva’. No começo era: ‘me leva para onde está meu carro’", afirmou. "Eu falei: ‘meu, o que é que você aprontou?’, e ele, ‘já era, ela já era’. E ele estava assustado, né?"

O vigia diz que fugiu para o Nordeste assim que o carro da advogada foi encontrado em uma represa em Nazaré Paulista, no interior de São Paulo, e que Mizael telefonou e orientou como ele deveria falar com os policiais.

"Ele dizia ‘você não sabe de nada, você não viu nada. Se você for viajar, você viaja depois que a poeira baixar, você vem e se apresenta aqui pra a polícia aqui e presta seu depoimento. A sua participação foi só me tirar de lá. Se a poeira baixar, você pega, vem aqui e se apresenta’".

Este foi o segundo depoimento que Evandro prestou à polícia. No primeiro, ele havia negado o crime. Segundo o delegado que investiga do caso, o vigia voltou a confessar sua participação no crime no terceiro depoimento, dado em São Paulo na noite de sábado (10).

Com base na confissão, a Justiça decretou a prisão temporária do ex-namorado de Mércia. Os policiais foram até a casa dele, mas o ex-policial não foi encontrado. Mesmo que continue foragido, ele será indiciado por homicídio qualificado. A polícia pretende encaminhar o inquérito para a Justiça ainda nesta semana.

A defesa do ex-namorado de Mércia contesta o depoimento do vigia e diz que Mizael não irá se entregar. Um pedido de habeas corpus deverá ser pedido ainda nesta segunda-feira (12).

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.