i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Meio ambiente

Votação do Código Florestal é adiada

Ambientalistas pretendem levar a discussão para depois do período eleitoral

  • PorFolhapress
  • 15/06/2010 21:14
Aldo Rebelo: parecer será discutido em comissão, depois no plenário. | Ed Ferreira/AE
Aldo Rebelo: parecer será discutido em comissão, depois no plenário.| Foto: Ed Ferreira/AE

Brasília - Para adiar a discussão e a votação do novo Código Florestal, de­­putados federais pediram mais tempo para analisar o parecer apresentado pelo deputado Aldo Rebelo (PCdoB-SP) na semana passada. A próxima reunião foi marcada para segunda-feira. A decisão foi acertada em poucos minutos na manhã de ontem, durante sessão com plenário lotado da comissão especial que debate a lei florestal na Câmara.

O pedido de vista faz parte da estratégia dos membros da bancada ambientalista, que pretendem usar dispositivos regimentais para postergar a votação para depois das eleições. "É uma estratégia de obstrução. Nessa época eleitoral, as pessoas agem mais com o coração do que com a razão", afirmou o deputado Sarney Filho (PV-MA). Ele criticou a data da próxima sessão, uma segunda-feira, dia em que geralmente os parlamentares estão em suas bases e não há atividades no plenário e nas comissões. "Vamos buscar a votação agora porque não sabemos quem virá no ano que vem. Temos de cumprir nosso dever parlamentar agora", rebateu o deputado Valdir Colatto (PMDB-SC), da bancada ruralista.

Na próxima sessão, os deputados Sarney Filho e Ivan Valente (PSOL-SP) devem apresentar um voto em separado para contestar o relatório em discussão. Entre as propostas de Rebelo estão a anistia para quem desmatou até julho de 2008, a redução das áreas de preservação permanente e a transferência de poder aos estados para legislar sobre causas ambientais. "É importante que o debate seja realizado. Ambos os lados devem apresentar suas propostas para que possamos proteger o meio ambiente e a produção agrícola", argumentou Aldo Rebelo.

Na comissão, o relatório apenas poderá ser aprovado ou rejeitado. Como a maioria dos membros representa o agronegócio, delineia-se a aprovação do parecer. É no plenário da Câmara que os deputados terão a chance de modificar o texto.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.