SÃO PAULO - A partir de amanhã, a Justiça Federal de São Paulo começa a ouvir as 96 testemunhas de defesa dos réus do mensalão – suposto esquema de compra de votos de parlamentares da base aliada.

O calendário das audiências seguiu a determinação do Supremo Tribunal Federal (STF), onde tramita a ação. Serão dez dias de audiências, entre 25 e 29 de maio e entre 1º e 5 de junho, a partir das 14 h. Por dia, serão ouvidos dez testemunhas. Apenas no último dia (5 de junho), seis pessoas prestarão depoimentos.

Entre as testemunhas estão o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, o ex-ministro Márcio Thomaz Bastos (Justiça); o deputado Aldo Rabelo (PCdoB-SP), ex-presidente da Câmara; o secretário nacional de Relações Internacionais do PT, Valter Pomar; o publicitário Nizan Guanaes; o jornalista Ricardo Kotsho, ex-secretário de imprensa do governo; e o ex-governador de Geraldo Alckmin (PSDB).

As testemunhas serão ouvidas pela juíza Silvia Maria Rocha, da 2ª Vara Criminal Federal de São Paulo. Como são muitas testemunhas, a Rocha poderá ter auxílio de outros juízes.

Entre os réus do mensalão estão os ex-ministros José Dirceu (Casa Civil), Anderson Adauto (Transportes) e Luiz Gushiken (Comunicação do Governo), o empresário Marcos Valério, os deputados petistas João Paulo Cunha (SP) e José Genoino (SP), além do ex-deputado Roberto Jefferson (PTB-RJ), autor das denúncias do mensalão.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]