• Carregando...

A última viagem da presidente Dilma Rousseff a Minas Gerais, realizada nesta terça-feira (20), motivou nova reação do senador Aécio Neves (PSDB-MG), que a acusou de "desrespeitar" os mineiros e "mentir" para Minas. Em nota, o presidente nacional do PSDB disse ser "inacreditável até onde é capaz de ir o desrespeito do PT e da presidente Dilma com Minas e os mineiros". O senador se referia ao PAC Cidades Históricas, anunciado pela presidente hoje em São João Del Rei, terra da família Neves.

"A presidente voltou a Minas, e sem ter o que apresentar, lançou como se novo fosse, o mesmo programa lançado diversas vezes pelo presidente Lula e por ela mesma, e que, até hoje, não se transformou em realidade", afirmou.

A nota de Aécio lembra o lançamento do programa pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em Ouro Preto, em outubro de 2009. Segundo Dilma, a iniciativa anunciada hoje é uma "nova versão" do PAC Cidades Históricas, cujos recursos não chegaram a sair do papel. "O dia de hoje deve ficar marcado na nossa consciência como mais um dia em que o PT teve a coragem de zombar da memória e da inteligência dos mineiros", atacou o senador, que vê Dilma intensificando a sua agenda em Minas e acenando com recursos a prefeitos do Estado.

O tucano disse que Dilma devia se desculpar com os mineiros. "Como a presidente e o PT podem ter tido a coragem de pisar o chão da história de Minas e, ao invés de se desculpar por não terem cumprido o que anunciaram há quatro anos, mentir aos mineiros como se estivessem anunciando um novo benefício ao Estado?", afirma o texto.

Aécio também cita o fato de Minas ter "cerca de 60% do patrimônio tombado em nível federal" e ser destino de 16% dos recursos do programa. "Até onde vai o desrespeito com Minas Gerais?", diz o senador, provável rival de Dilma nas eleições presidenciais de 2014, ao final da nota.

0 COMENTÁRIO(S)
Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]