i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
finanças públicas

Alívio no caixa do Paraná não garante pagamento de dívida com professores

Segundo o secretário da Fazenda, suspensão das parcelas da dívida com a União não permite quitar promoções e progressões aos docentes, atrasadas desde 2015. Promessa é pagar em 2017

  • PorDiego Antonelli
  • 22/06/2016 16:23
 | Aniele Nascimento/Gazeta do Povo
| Foto: Aniele Nascimento/Gazeta do Povo

Mesmo com um alívio no caixa financeiro devido ao acordo de suspensão do pagamento da dívida dos estados com a União até o início de 2017, o governo do Paraná diz que não será possível pagar as promoções e progressões dos professores da rede estadual atrasadas desde 2015. Segundo o secretário estadual da Fazenda, Mauro Ricardo Costa, é inviável quitar essa dívida no atual cenário. “Nosso compromisso é pagar em 2017”, afirma.

Estados aceitam proposta da União e só voltarão a pagar dívidas em 2017

Leia a matéria completa

O atraso destes pagamentos ocorre desde abril de 2015 e a dívida do governo com os funcionários e professores é de quase R$ 200 milhões, segundo a APP-Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Paraná.

O secretário alega foi concedido no início do ano reajuste de 10,67% nos salários dos servidores públicos, que é referente ao Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de 2015. “Dar reajuste de 10,67% e pagar mais todas promoções e progressões não é compatível. Não há possibilidade de fazer isso sob de pena de não investimos mais recursos em benefícios da população”, diz Costa, apontando ainda que de 2011 até 2016 foi concedido um incremento real de quase 40% aos salários dos servidores que teria comprometido receitas do estado. “Não é possível quitar essa dívida”, ressalta.

Valor

Com o acordo firmado de suspensão do pagamento das dívidas, o governo do Paraná terá um alívio total, segundo o secretário, de R$ 600 milhões. “Vamos concentrar esses recursos e estabelecer prioridades em educação saúde e estradas”, afirma. Entre os meses de julho e dezembro o alívio será de R$ 80 milhões mensais – totalizando cerca de R$ 480 milhões neste segundo semestre.

Em uma reunião com todos os secretários estaduais e presidentes de empresas públicas do governo estadual, realizado na manhã desta quarta-feira (22), foram debatidos, entre outros temas, a utilização desses recursos. “Essa negociação ajuda e muito o Paraná. Nossa prioridade também será em segurança e infraestrutura”, afirma o Chefe da Casa Civil, Valdir Rossoni.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 0 ]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.