Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

PUBLICIDADE
  1. Home
  2. Vida Pública
  3. Analista diz que Serra pode ter “empurrado” Aécio para fora do PSDB

Eleição 2010

Analista diz que Serra pode ter “empurrado” Aécio para fora do PSDB

  • São Paulo - Agência Estado
Aécio Neves: prejuízo político |
Aécio Neves: prejuízo político
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

A decisão do governador de São Paulo, José Serra (PSDB), de nomear o ex-governador paulista Geraldo Alckmin (PSDB) para a Secretaria de Desenvolvimento foi “uma jogada estratégica das mais inteligentes” e deixa o governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB), sem aliados em São Paulo para seu projeto de concorrer à Presidência da República em 2010. A opinião é do cientista político e integrante do Movimento Voto Consciente Humberto Dantas. Na sua avaliação, o anúncio pode precipitar a saída de Aécio do PSDB.

“Talvez ele tenha empurrado o Aécio para fora do partido, talvez tenha ganho força a tese de que efetivamente o Aécio possa ir para o PMDB”, avaliou Dantas, ressaltando, entretanto, que é muito pouco provável que isso aconteça no curto prazo.

Para o especialista, a adesão de Alckmin ao governo paulista foi um “tiro de canhão” em Aécio, pois, ao nomear o ex-governador, Serra trouxe para si um dos principais aliados partidários de Aécio em São Paulo. Além disso, Serra aumenta seu grau de controle sobre a disputa para o governo de São Paulo, ampliando ainda mais sua influência na legenda.

Dantas diz acreditar que a nomeação de Alckmin foi “a melhor das respostas” ao anúncio de Aécio de que iria viajar pelo país para discutir o cenário “pós-Lula” no Brasil. “Não adianta sair visitando o país em 2009. A resposta do Serra é uma resposta política a um ato mais demagógico”, apontou.

Um dia após o anúncio de Serra, Aécio procurou minimizar seu prejuízo político. Segundo o mineiro, a escolha de Alckmin não deixa de ser uma homenagem a ele próprio, Aécio, na medida em que o ex-governador de São Paulo é seu amigo. “Me sinto também homenageado por essa indicação”, declarou.

O governador de Minas contou que Alckmin lhe telefonou ontem pela manhã, para explicar as “circunstâncias” em que ocorreu o convite de Serra e a importância da união do partido.

O bom relacionamento com Geraldo Alckmin era um dos trunfos com o qual Aécio Neves contava para tentar conquistar aliados paulistas na disputa interna que definirá o candidato dos tucanos à Presidência da República.

Questionado sobre o fortalecimento de Serra como possível candidato do PSDB à sucessão de Lula, Aécio tentou demonstrar despreocupação. “Se o Serra ganha, ganham todos”, afirmou. Mais uma vez, o tucano defendeu a utilização das prévias pelo partido.

8 recomendações para você

deixe sua opinião

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE