Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...

Apadrinhado do senador José Sarney (PMDB-AP), Silas Rondeau, que pediu demissão sob acusações de da Polícia Federal, foi empossado, no dia 8 de julho de 2005, ministro de Minas e Energia, em substituição à Dilma Roussef, hoje ministra da Casa Civil da Presidência da República. Contando com o apoio da própria Dilma, agradou ao presidente Lula por seu perfil técnico e por sua proximidade política com o ex-presidente Sarney. Lula se considerava em débito com o senador, pois pretendia convidar a senadora Roseana Sarney para o primeiro escalão durante reforma ministerial, o que acabou não acontecendo.

A nomeação foi bem recebida por empresários do setor. Wilson Ferreira Júnior, presidente da CPFL Energia, maior grupo privado nacional da área no país, se disse "muito contente com a indicação". E afirmou que Rondeu tinha a seu favor uma notável carreira como executivo em empresas de energia.

- Já trabalhou em várias companhias e tem experiência. Como já tinha um relacionamento próximo à ministra, está aquecido no que diz respeito a regulamentação e leilões de energia - disse o presidente da CPFL na ocasião.

A área de geração também ficou satisfeita, na época, com a nomeação . Ele agradou tanto aos geradores privados, reunidos na Apine - que representa empresas como a belga Tractebel como as americanas Duke Energy e El Paso - como satisfez as expectativas das geradoras estatais, como Cemig, Copel e o próprio sistema Eletrobrás, representadas pela Associação dos Grandes Geradores de Energia (Abrage). Para o presidente da Apine, Rondeau já fazia parte da equipe.

Nascido em 15 de dezembro de 1952, na cidade maranhense de Barra do Corda, Silas Rondeau Cavalcante Silva é formado em engenharia elétrica pela Universidade Federal de Pernambuco, com especialização em Engenharia de Linhas de Transmissão pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), cursos de MBA de Executivo Internacional (AMANA-KEY-APG, São Paulo) e Executivo em Finanças (IBEMEC Business School, Brasília). Possui notória especialização no setor de energia onde atua há mais de 30 anos.

Em 12 de Maio de 2004, foi nomeado presidente e membro do Conselho de Administração da Centrais Elétricas Brasileiras S.A. - Eletrobrás, cargo em que permaneceu até 2005. Sua nomeação fora assinada, em abril daquele ano, pela própria ministra Dilma Roussef, à época titular da pasta de Minas e Energia. Contribuiu para a elaboração do novo marco regulatório do setor elétrico brasileiro e com a sua implementação. Anteriormente, foi presidente da Centrais Elétricas do Norte do Brasil - Eletronorte.

Durante a sua vida profissional, Silas Rondeau exerceu diversos cargos executivos, entre os quais destacam- se: diretor-presidente e diretor técnico da Boa Vista Energia S.A, diretor-presidente da Manaus Energia S.A, diretor-presidente da Companhia Energética do Amazonas - Ceam, diretor-técnico e de Distribuição da Companhia de Eletricidade do Maranhão - Cemar, além de exercer os cargos de coordenador geral da presidência da Eletronorte, assistente da diretoria financeira da Eletronorte. É professor licenciado da Universidade Federal do Maranhão (UFMA).

Ele também exerce o cargo de presidente do conselho de administração de Furnas Centrais Elétricas S.A e participa do conselho de administração da empresa Itaipu Binacional.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]