i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Escândalo no Governo

À PF, ex-ministro da Cultura diz que Temer o pressionou no caso do “edifício de Geddel”

Segundo apurado pela “Folha de S.Paulo”, depoimento de Marcelo Calero aponta reunião dele com Michel Temer no dia anterior ao seu pedido de demissão do Ministério da Cultura

  • PorDa redação
  • 24/11/2016 18:50
 | Beto Barata/PR
| Foto: Beto Barata/PR

Em depoimento prestado à Polícia Federal (PF), o ex-ministro da Cultura Marcelo Calero afirmou que o próprio presidente Michel Temer (PMDB) o procurou com o intuito de que fosse encontrada uma “saída” para a obra do edifício La Vue Ladeira da Barra, em Salvador, que é de interesse do ministro-chefe da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima (PMDB). As informações são de reportagem do jornal Folha de S.Paulo, publicada no fim da tarde desta quinta-feira (24).

Porta-voz diz que Temer rechaça acusações do ex-ministro da Cultura

Leia a matéria completa

O imbróglio em torno do ministro da Secretaria de Governo começou com o pedido de demissão de Calero, na última sexta-feira (18). Após a saída do governo, o ex-ministro da Cultura afirmou que deixava a administração Temer por conta de pressões de Geddel por um parecer favorável do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), que é vinculado ao Ministério da Cultura, que liberasse a construção do empreendimento na capital baiana. O interesse de Geddel no assunto é que ele havia adquirido uma unidade no edifício.

Segundo apurado pela Folha, a transcrição do depoimento aponta que o ex-titular da Cultura foi convocado por Temer para ir ao Palácio do Planalto na quinta-feira (17), um dia antes do seu pedido de demissão. De acordo com o relato, o presidente disse que Geddel estava bastante irritado e pediu a Calero que permitisse que o processo saísse do Iphan e fosse enviado à Advocacia-Geral da União (AGU), onde seria encontrada uma solução. O depoente disse ainda que a pressão feita pelo titular da Secretaria de Governo foi encarada com normalidade por Temer.

Segundo a PF, o depoimento de Calero foi encaminhado ao Supremo Tribunal Federal (STF), responsável por investigar o eventual cometimento de crimes por pessoas com prerrogativa de foro. Na quarta-feira (23), a Justiça Federal na Bahia determinou a suspensão imediata das obras e da comercialização das unidades do empreendimento. A decisão acolhe manifestação da Procuradoria-Geral da República (PGR) e impõe pena de multa diária de R$ 10 mil aos responsáveis pelo negócio em caso de descumprimento.

Após acusações de ex-ministro contra Temer, oposição fala em impeachment

Leia a matéria completa

De acordo com o parecer do Ministério Público Federal (MPF), a excessiva altura do prédio de luxo apontada pelo projeto comprometeria a visibilidade de pelo menos três bens históricos tombados na capital baiana - a Igreja de Santo Antônio, o Outeiro de Santo Antônio e o Forte de Santa Maria.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 0 ]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.