i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Supremo

Após prescrição, Alceni e Giacobo são absolvidos

  • PorAndré Gonçalves, correspondente
  • 11/03/2010 21:18
Alceni: “Absolvição foi importante” | Pedro Serápio/ Gazeta do Povo
Alceni: “Absolvição foi importante”| Foto: Pedro Serápio/ Gazeta do Povo
  • Giacobo:

Brasília - Os deputados federais paranaenses Alceni Guerra (DEM) e Fernando Giacobo (PR) foram absolvidos ontem pelo Supremo Tribunal Federal (STF) na Ação Penal n.º 433. Eles eram acusados de fraude em licitação por terem firmado um contrato em 1988 que causou prejuízo à prefeitura de Pato Branco, no Sudoeste do Paraná. Na prática, os parlamentares já estavam livres da condenação, pois o crime prescreveu na sexta-feira passada.

O julgamento dos dois teve início na quinta-feira, um dia antes da prescrição, e ficou empatado em cinco a cinco. Os ministros decidiram deixar o processo suspenso, no aguardo do voto de Eros Grau, que faltou à sessão – ele alegou que tinha avisado com antecedência. Ontem Grau afirmou que "na hipótese não há modalidade culposa".

Alceni era prefeito de Pato Branco quando uma empresa de Giacobo ganhou a licitação para explorar a rodoviária municipal. O valor do contrato era de R$ 1,3 milhão, dos quais R$ 1,1 milhão fo­­ram pagos à prefeitura em títulos públicos da União datados de 1902 e considerados sem valor.

Os papéis seriam usados para quitar uma dívida da prefeitura com o INSS. Como não foram aceitos, Alceni cancelou o contrato em 1999. "Quando você faz tudo certo, tem de confiar e esperar a Justiça, pois no fim dá tudo certo. A absolvição foi muito importante", comentou ontem Alceni.

Dupla comemoração

Ontem Giacobo também foi absolvido em outra ação penal julgada pelo STF, na qual era acusado de apropriação indevida de um automóvel. Segundo o deputado, ele tinha uma concessionária e, em 1996, trocou uma BMW por um Golf. O cliente quis desfazer o negócio, mas Giacobo diz que já tinha vendido o Golf. Por 6 a 5, os ministros entenderam que o caso não deveria motivar um processo criminal, mas uma ação civil por quebra de contrato.

Com os resultados de ontem, Giacobo limpou as quatro ações a que respondia no STF. "Eu já era um ficha-limpa porque nunca tive uma condenação judicial. Agora sou ainda mais. Meus inimigos não vão mais conseguir me atacar durante o período eleitoral."

Colaborou Rosana Félix

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 0 ]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.