i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
apelidos

Boca mole, Misercórdia... quem é quem na delação do ex-vice-presidente da Odebrecht

  • PorDa redação
  • 10/12/2016 19:51
Apelidados: Deputado Heráclito Fortes (PSB-PI) (esq. cima), ex-deputado Inaldo Leitão (esq. baixo) e  deputado Antônio Brito (PSD-BA) (dir.). | Ag. Senado/ Gazeta do Povo
Apelidados: Deputado Heráclito Fortes (PSB-PI) (esq. cima), ex-deputado Inaldo Leitão (esq. baixo) e deputado Antônio Brito (PSD-BA) (dir.).| Foto: Ag. Senado/ Gazeta do Povo

Mais uma delação de funcionários da Odebrecht, desta vez feita pelo ex-vice-presidente de Relações Institucionais da empresa, Claudio Melo Filho, veio a tona na noite da última sexta-feira (9). Além de atingir diretamente o Planalto, com revelações sobre o esquema de corrupção protagonizado pela empreiteira, o documento cita vários apelidos curiosos usados para identificar os envolvidos.

LEIA MAIS: Entenda como a Odebrecht influenciava o Congresso

Entre os codinomes utilizados encontram-se trocadilhos com os nomes originais dos políticos - como no caso do senador Romero Jucá (PMDB- RR), tratado como “Caju”. Também aparecem no documento o ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), cujo apelido é “Caranguejo” e o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), chamado de “Justiça”.

Na delação, constam até mesmo apelidos que fazem alusão à características dos mencionados. É o caso de Francisco Dornelles (PP-RJ ), vice-governador do Rio de Janeiro, que foi identificado como “Velhinho”, e do ex-deputado Inaldo Leão,chamado de “Todo Feio”.

  • CARANGUEJO - Eduardo Cunha, ex-deputado (PMDB-RJ).
  • BOCA MOLE – Deputado federal Heráclito Fortes (PSB-PI).
  • VELHINHO - Francisco Dornelles, vice-governador do Rio de Janeiro (PP-RJ).
  • TODO FEIO - Ex-deputado Inaldo Leitão (PL-PB).
  • ÍNDIO - Senador Eunício de Oliveira (PMDB-CE).
  • MISERICÓRDIA - Deputado Antônio Brito (PSD-BA).
  • FEIA - Lídice da Mata, senadora (PSB-BA).
  • JUSTIÇA - Renan Calheiros, senador e presidente do Senado Federal (PMDB- AL).
  • COMUNA - Deputado Daniel Almeida (PCdoB-BA).
  • DECRÉPITO - Deputado Paes Landim (PTB-PI).
  • CAJU - Romero Jucá, senador (PMDB- RR).
  • CAMPARI - Ex-senador Gim Argello (PTB-DF).
  • KIMONO – Prefeito de Manaus, Arthur Virgílio (PSDB-AM).
  • BABEL - Geddel Vieira Lima , ex-secretário de governo (PMDB-BA).
  • BOTAFOGO- Deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ).
  • PINO ou GRIPADO - Senador José Agripino Maia (DEM-RN).
  • MISSA - Deputado José Carlos Aleluia (DEM-BA).
  • POLO – Ex-ministro de Dilma Rousseff e ex-governador da Bahia, Jacques Wagner (PT-BA).
  • FERRARI - Delcídio do Amaral ,ex-senador (ex-PT-MS).
  • CORREDOR - Prefeito de Ribeirão Preto, Duarte Nogueira (PSDB-SP).

Colaborou: Cecília Tümler

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 0 ]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.