Os benefícios pagos pelo Bolsa Família serão reajustados por medida provisória (MP) e depois da posse da presidente eleita, Dilma Rousseff. O aumento, prometido pela petista durante a campanha eleitoral e essencial para o cumprimento da promessa de combater a pobreza extrema no País, não será incluído na proposta de Orçamento da União para 2011, em debate no Congresso afirmou hoje o relator, senador Gim Argello (PTB-DF).

O Bolsa Família paga benefícios entre R$ 22 e R$ 200 a 12,7 milhões de famílias e está sem reajuste desde o primeiro semestre do ano passado. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva deixou a decisão sobre um novo aumento para o sucessor.

Estudos do governo mostram que a correção pela inflação, de cerca de 9%, seria insuficiente para o projeto de Dilma de acabar com a extrema pobreza no Brasil. Segundo dados oficiais, 9,8 milhões de brasileiros ainda se encontram nessa situação. Grande parte deles já recebe o Bolsa Família, mas o valor é insuficiente para superar a miséria.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]