Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
 | Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
| Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O ex-ministro da Cultura Marcelo Calero contestou nesta sexta-feira a informação de que teria solicitado audiência com o presidente Michel Temer com o objetivo de fazer gravações. A manifestação é uma resposta às acusações de que ele teria agido dessa forma para desestabilizar o governo. O texto foi publicado no perfil de Calero no Facebook.

“A respeito de informações disseminadas, a partir do Palácio do Planalto, de que eu teria solicitado audiência com o presidente Michel Temer no intuito de gravar conversa no Gabinete Presidencial, esclareço que isso não ocorreu”, informou por nota.

O ex-ministro se defendeu dizendo que nunca atuou com má-fé. “Durante minha trajetória na carreira diplomática e política, nunca agi de má-fé ou de maneira ardilosa. No episódio que agora se torna público, cumpri minha obrigação como cidadão brasileiro que não compactua com o ilícito e que age respeitando e valorizando as instituições”.

O ex-ministro é pivô de uma crise política que levou ao pedido de demissão de Geddel Vieira Lima do cargo de ministro da Secretaria Geral do Governo. Em depoimento prestado à Polícia Federal, Calero afirmou que Temer o procurou para pressionar que o Instituto do Patrimônio Histórico Artístico Nacional (Iphan) revisse decisão que impedia a obra do edifício La Vue Ladeira da Barra, em Salvador, que era de interesse de Geddel.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]