031921

Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

PUBLICIDADE
  1. Home
  2. Vida Pública
  3. Collor recebeu R$ 26 milhões em propina, revela Janot

lava jato

Collor recebeu R$ 26 milhões em propina, revela Janot

Suspeita é de que os carros de luxo comprados pelo ex-presidente e apreendidos pela Polícia Federal no mês passado sejam frutos da corrupção na Petrobras

  • Da Redação
Fernando Collor nos corredores do Senado: nova polêmica com suspeita de corrupção. | Ueslei Marcelino
Reuters
Fernando Collor nos corredores do Senado: nova polêmica com suspeita de corrupção. Ueslei Marcelino Reuters
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

Em manifestação encaminhada ao Supremo Tribunal Federal (STF), o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, aponta que o ex-presidente da República e senador Fernando Collor de Mello (PTB-AL) recebeu R$ 26 milhões em propina, entre 2010 e 2014, fruto de “sofisticado esquema de lavagem de dinheiro”. Para tentar amenizar o prejuízo, Janot pede que os carros de luxo, apreendidos pela Polícia Federal no mês passado, não sejam devolvidos ao senador, por ser “possivelmente produtos do crime”. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Segundo o relatório, Collor recebeu entre 2011 e 2013 cerca de R$ 800 mil em depósitos fracionados, parte deles em dinheiro vivo – sócio da afiliada da Rede Globo em Alagoas, o ex-presidente recebeu da emissora R$ 249 mil.

Além da TV, duas outras empresas do senador aparecem no matéria encaminhado ao STF, a Água Branca participações e a Gazeta de Alagoas. Há depósitos feitos no nome de uma empresa para a outra. A suspeita é de que a Água Branca seja uma empresa de fachada, já que não tem sede, funcionários nem participação em outras empresas. “Mas estranhamente tem a propriedade de três carros de luxo”, escreveu Janot no relatório.

Collor registrou uma Lamborghini, uma Ferrari, um Bentley e uma Land Rover em nome da empresa.Foi Collor que pediu a devolução dos carro e não a empresa. Janot sustenta que quem deveria fazer o pedido era o ex-presidente e que não há “restituição de produto do crime”. O procurador aconselha o STF a negar o pedido do senador.

Prestações atrasadas

Collor está devendo parte das prestações da Lamborghini. O ex-presidente deu um carro de entrada no valor de R$ 400 mil, mais parcelas em dinheiro totalizando R$ 1,2 milhão, além de assumir um financiamento de R$ 1,6 milhão. É esta parte da operação que está atrasada. No material encaminhado ao STF, Janot sustenta que o política está “inadimplente” provavelmente em razão do “fim do fluxo de propina” por causa da Operação Lava Jato.

O caso será apreciado pelo ministro do Supremo Teori Zavascki, relator da Lava Jato.

Outro lado

Collor sustenta que a Águas Claras existe regularmente, nega relação entre a compra dos veículos e a corrupção na Petrobras e acusa o Ministério Público Federal de perseguição.

8 recomendações para você

deixe sua opinião

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE