• Carregando...

Presidente da Comissão de Orçamento do Congresso, o senador Edison Lobão Filho (PMDB-MA) admitiu ontem que os deputados e senadores poderão não ter recesso parlamentar em julho diante da falta de acordo para a votação da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) na comissão. Pela Constituição, o Congresso só pode entrar em recesso no mês de julho depois de aprovar a LDO. A expectativa dos congressistas era iniciar o recesso de 15 dias em 18 de julho. Mas o cenário é oposto. Há um impasse na comissão deflagrado, em sua maioria, por deputados aliados da presidente Dilma Rousseff. O grupo ameaça não votar a LDO em retaliação à posição do Planalto em matérias como o orçamento impositivo e os vetos presidenciais no Congresso. "Votaremos [na Comissão Mista de Orçamento] o relatório preliminar da LDO, se tudo der certo, na terça-feira. Mas não teremos condições de votar o relatório definitivo", disse Lobão Filho. A LDO precisa ser aprovada pela comissão e pelo plenário do Congresso para que o recesso tenha início.

0 COMENTÁRIO(S)
Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]