i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Caso Cachoeira

CPI ouve arapongas e ex-vereador do PSDB

Advogado dos depoentes, Leonardo Gagno, disse, antes da abertura da reunião, que os seus clientes vão permanecer em silêncio durante a sessão

  • PorAgência Estado
  • 24/05/2012 08:05

O presidente da CPI do Cachoeira, senador Vital do Rêgo (PMDB-PB), abriu nesta quinta-feira (24) a sessão para ouvir os arapongas Idalberto Matias de Araújo, conhecido como Dadá, e Jairo Martins de Souza e o ex-vereador Wladimir Garcez (PSDB). O advogado de Jairo e Dadá, Leonardo Gagno, disse, antes da abertura da reunião, que os seus clientes vão permanecer em silêncio durante o depoimento.

Assista, abaixo, a sessão, transmitida por meio de um canal da TV Senado na internet. Para a correta reprodução do vídeo, é necessário ter instalado em seu computador o programa Windows Media Player.

"Eles não vão falar porque a matéria de prova está toda calcada nas escutas telefônicas, que nós sustentamos que são ilegais. Hoje, para nós sustentarmos uma linha de defesa coerente, eles têm que permanecer em silêncio", disse o advogado.

Gagno negou que os dois realizem grampos ilegais ou quaisquer atividades ilícitas. O advogado disse que os dois trabalhavam com informações públicas e mantinham uma relação profissional e de amizade com Carlinhos Cachoeira. "Eles não tinham conhecimento das atividades do mundo empresarial do Carlos. Eles são muito menores, são peixe pequeno."

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 0 ]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.