Veja a opinião dos curitibanos sobre um terceiro mandato de Lula, Requião e Richa |
Veja a opinião dos curitibanos sobre um terceiro mandato de Lula, Requião e Richa| Foto:

A hipótese de um governante concorrer a eleição para um terceiro mandato não agrada aos curitibanos. Levantamento feito pelo Instituto ParanáPesquisas revela que 53,67% dos curitibanos são contra o terceiro mandato para o Poder Executivo. A ideia voltou a ganhar força na Câmara dos Deputados depois que o deputado Jackson Barreto (PMDB-SE) iniciou uma campanha na Casa para levar uma PEC, que propõe um referendo sobre a possibilidade de o presidente Luiz Inácio Lula da Silva concorrer a um terceiro mandato, a plenário.

O levantamento da ParanáPesquisas questionou também se o presidente Lula, o governador do Paraná, Roberto Requião (PMDB), e o prefeito de Curitiba, Beto Richa (PSDB), deveriam concorrer a um terceiro mandato. Nesse quesito, apenas uma nova reeleição de Richa foi aprovada pelos curitibanos. "A taxa de aprovação do prefeito Beto Richa pode ter contaminado a resposta sobre a discussão em torno do terceiro mandato. É uma manifestação dos que estão satisfeitos com as atuais políticas do governo Richa e que gostariam da continuidade", analisou o cientista político Leonardo Barreto, da Universidade de Brasília (UnB).

O cientista político da Universidade Federal do Paraná (UFPR) Ricardo Costa de Oliveira também considera que a popularidade de Richa influenciou a discussão do terceiro mandato. "Possivelmente os entrevistados aliaram diretamente a questão de uma nova reeleição à popularidade do governante", disse.

Richa afirmou ter ficado feliz com o resultado da pesquisa, que considerou um gesto de confiança na sua administração, mas ressaltou que é contra ao terceiro mandato. "É puro casuísmo, veja só o exemplo chavista", declarou o prefeito. "Temos de dar oportunidade para outros administradores. Dois mandatos são suficientes para implementar mudanças, propostas de obras e projetos para a cidade."O governador Roberto Requião foi procurado para comentar a pesquisa, mas a assessoria de imprensa do governo informou, na sexta-feira, que ele não poderia ser localizado.

Eleição estadual

Embora o terceiro mandato seja o tema do momento, a discussão que rodeia o prefeito de Curitiba é outra: a disputa pelo governo do estado no próximo ano. Beto Richa não descarta a possibilidade de ser candidato, mas continua reafirmando que não há necessidade de definir nada agora. "É muito prematuro decidir isso agora porque sempre há desgaste de candidaturas precoces. Essa decisão deve ser tomada por meio de muito diálogo para a construção da aliança e de um projeto para o estado. Nomes só serão definidos no ano que vem. Não há nada que justifique escolha nesse momento", disse.

Dentro do próprio PSDB, no entanto, há quem trabalhe para apressar a definição sobre candidaturas. O senador Alvaro Dias procurou a bancada do partido na semana passada para anunciar que é candidato ao governo. Richa não quis polemizar sobre a movimentação do senador. "É uma aspiração legítima do Alvaro pleitear a candidatura e não cabe a mim fazer qualquer tipo de avaliação diferente. Cabe a ele convencer o partido de que é o melhor caminho."

O prefeito tem ampliado o espaço na agenda para percorrer o interior participando de encontros, reuniões partidárias e palestras sobre gestão pública. A andança é interpretada por lideranças políticas como uma preparação para a campanha de 2010, mas Beto Richa garante que não está cumprindo agenda de candidado porque em nenhum dos encontros trata de eventual disputa ao governo. "Não movi uma palha para isso. Fomos apontados como a melhor administração do Brasil e a reeleição com índice histórico chamou a atenção do Paraná, mas tudo está acontecendo de forma natural. A viabilização de qualquer candidatura tem que ser de forma natural e não imposta", disse.

Sobre a continuidade da aliança com o PDT – do senador e pré-candidato declarado Osmar Dias – Beto Richa diz que tem conversado com Dias por telefone e que o relacionamento entre os dois continua sendo muito bom. "Respeito a posição do senador. Ele tem todo o direito de buscar seu espaço e candidatura."

A mesma regra da "compreensão" o prefeito diz estar aplicando a deputados federais aliados, como o presidente estadual do DEM, Abelardo Lupion, e o presidente do PP do Paraná, Ricardo Barros. Ambos defendem a candidatura de Osmar Dias, segundo Beto Richa, porque são pré-candidatos ao Senado. Seguindo esse raciocínio, seria melhor para Lupion e Barros afastar Dias da disputa pela reeleição ao Senado porque com isso aumentariam as chances de eleição de ambos.

O prefeito também confirmou que está mantendo conversas informais com o PMDB. Ele disse que prefeitos do partido do governador Roberto Requião demonstram muita simpatia com o projeto tucano, mas não há nada concreto.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]