i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
lava jato

Defesa de Barusco fala em piora de câncer e pede cancelamento de acareação

Ex-gerente de serviços da Petrobras seria confrontado nesta quarta e quinta com Renato Duque e João Vaccari Neto

    • Estadão Conteúdo Web
    • 07/07/2015 08:36
    Pedro Barusco alega caso de saúde para não comparecer à CPI da Petrobras. | Ueslei Marcelino/Reuters
    Pedro Barusco alega caso de saúde para não comparecer à CPI da Petrobras.| Foto: Ueslei Marcelino/Reuters

    A defesa do ex-gerente de Serviços da Petrobras, Pedro Barusco, pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) que sejam suspensas duas acareações para qual ele foi convocado esta semana na CPI da Petrobras. Os advogados de Barusco pediram que a Corte suspenda a convocação do réu alegando sofre de câncer e de que seria necessária autorização de seus médicos.

    Para justificar o pedido de suspensão de acareações marcadas para os dias 8 e 9 (quarta e quinta-feira), respectivamente com o ex-diretor de Serviços da Petrobras Renato Duque e o ex-tesoureiro do PT João Vaccari. A defesa alega que o réu sofre de “câncer ósseo, grave moléstia que, por haver piorado no último mês, dificulta o seu deslocamento e permanência nas audiências de acareação”, diz a peça apresentada ao Supremo.

    A advogada de Barusco, Beatriz Catta Petra, acrescenta que o pedido foi levado ao Judiciário após negativa do presidente da CPI, deputado Hugo Motta (PMDB-PB), de cancelar a acareação. Ela lembra ainda que o ex-gerente já compareceu a outra sessão da CPI por onde permaneceu depondo por mais de seis horas. Por último, a advogada lembra que na ocasião em que Barusco esteve na Câmara havia pedido de que a sessão fosse secreta, evitando a exploração da doença pelos parlamentares e que, apesar de acordo para que não houvesse pergunta a respeito, o ex-gerente teve de responder questionamentos sobre o fato de ter câncer.

    Silêncio

    O pedido será analisado pelo ministro Celso de Mello, que está no plantão do Judiciário devido ao recesso. Na semana passada, o presidente do STF, Ricardo Lewandowski, rejeitou pedido apresentado por Duque para cancelar a acareação com Barusco. Contudo, o ministro concedeu habeas corpus garantindo o direito de o ex-diretor e Vaccari de permanecerem em silêncio durante a sessão da CPI na Câmara dos Deputados.

    Deixe sua opinião
    Use este espaço apenas para a comunicação de erros
    Máximo de 700 caracteres [0]

      Receba Nossas Notícias

      Receba nossas newsletters

      Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

      Receba nossas notícias no celular

      WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

      Comentários [ 0 ]

      O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.