i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
CPI do Cachoeira

Deputado tucano acusa relator de direcionar depoimentos

  • PorAgência Estado
  • 24/05/2012 10:33

O deputado Carlos Sampaio (PSDB-SP) criticou duramente a atuação do relator da CPI do Cachoeira, deputado Odair Cunha (PT-MG), nos questionamentos que fez ao ex-vereador tucano Wladimir Garcez (PSDB). Ex-promotor de Justiça, Sampaio disse que Cunha estava direcionando a investigação com o objetivo de atingir o governador de Goiás, o também tucano Marconi Perillo.

Para o deputado do PSDB, a atuação do relator não pode se pautar para "inviabilizar este ou aquele partido" e sim pela lógica investigativa. Segundo Sampaio, Cunha fez as perguntas a Garcez sobre a relação dele com o governo goiano."Não me parece que este seja um caminho correto", disse. "A função dele não é representar um partido e sim representar o parlamento", completou, para quem o relator estaria atendendo "ao reclamo palaciano".

Sampaio disse que a atuação com o governador do Distrito Federal o petista Agnelo Queiroz, não foi questionada pelo relator. Ao responder ao deputado do PSDB, Odair Cunha preferiu não polemizar com ele. "Eu não vou fazer julgamento sobre as perguntas que vossa excelência faz nesta CPI".

Cunha disse que Garcez foi vereador do PSDB, influenciava negócios do partido e lembrou que, na última pergunta que fez, questionou sobre as relações que tinha com o governo do Distrito Federal. "Se ele pertence aos quadros do PSDB, não é minha responsabilidade", disse.

O ex-vereador afirmou, na exposição inicial que fez à CPI, que comprou a casa do governador de Goiás para tentar lucrar em uma futura revenda. O imóvel, avaliado em R$ 1,4 milhão, foi comprado com três cheques nominais de Leonardo de Almeida Ramos, sobrinho do contraventor Carlinhos Cachoeira.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 0 ]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.