i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Vazamento

À PF, contador nega envolvimento com violação de sigilo

  • PorAgência Estado
  • 13/09/2010 13:09

O contador e office-boy Ademir Estevam Cabral, apontado como um dos principais personagens do escândalo de violação de sigilo de familiares do candidato a presidente José Serra (PSDB), depôs hoje na Polícia Federal (PF) de São Paulo por cerca de uma hora e negou ter qualquer participação na trama. Cabral afirmou que não entregou ao contador Antônio Carlos Atella Ferreira procurações falsas em nome de Verônica Serra e Alexandre Bourgeois, filha e genro de José Serra.

"Tais documentos forjados foram apresentados por Atella na Delegacia da Receita (Federal) em Santo André (na região metropolitana de São Paulo) junto ao pedido de obtenção de cópias das declarações de Verônica e Alexandre", disse. Atella teria usado uma procuração falsa para acessar os dados da filha de Serra em 30 de setembro de 2009.

Atella acusou o colega Ademir de ter encomendado a papelada. Na versão dele, Ademir trabalharia como intermediário de pessoas de Brasília, Minas Gerais e interior de São Paulo. Segundo informações da Justiça Eleitoral, Atella teria se filiado ao PT em 2003. Além da filha e do genro de Serra, políticos tucanos tiveram suas declarações de renda acessadas indevidamente em Mauá e Santo André, ambas em São Paulo, e em Formiga (MG).

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.